Empreendedorismo feminino como ferramenta de empoderamento da mulher

Foto: Sebrae


O empreendedorismo feminino é um termo que está em alta no Brasil devido ao grande número de mulheres que temos visto gerindo seus próprios negócios nas redes sociais.

De acordo com o Governo Federal, 3 em cada 4 lares são chefiados por uma mulher — e, dessas, 41% tem o seu próprio negócio formal ou informal. É um numero interessante que mostra o poder que as mulheres têm de transformar a sociedade e a economia de um país.

Uma mulher que tem sucesso no seu próprio negócio, pode ter sua renda própria trazendo mais autonomia e liberdade para sua vida. Ela pode se sustentar e cuidar da sua família amenizando várias problemáticas da vida da mulher moderna. Sendo empreendedora, a depender do segmento do negócio, ela pode trabalhar de casa, através da internet, tendo assim, horários mais flexíveis e mais tempo de qualidade com os filhos.

Segundo o IBGE, as mulheres ganham, em média, 20,5% menos que os homens no Brasil, por isso que empreender pode ser uma alternativa viável para mulheres brasileiras. Assim, ela não enfrenta essa guerra de desigualdade salarial no mundo corporativo e nem sofre algum tipo de preconceito simplesmente por ser mulher, pois é sabido que isso ainda é muito comum em grandes corporações.

O empreendedorismo feminino impacta diretamente na independência econômica da mulher provocando essa sensação de empoderamento, trazendo o protagonismo para que ela tome as rédeas da própria vida e tome decisões importantes como, por exemplo, se livrar de um relacionamento abusivo e da violência doméstica, pedindo o divórcio.


É importante levantar a bandeira em prol do empreendedorismo, seja para complementar a renda ou para ter independência financeira, pois é super possível empreender sendo mulher, mãe, universitária, empregada do tipo CLT ou mesmo com qualquer outra “barreira” que seja imposta para nós. Nós podemos.

*Laís Casado, administradora e mentora de marketing digital e sócia da @arcaparamulheres