De religião de matriz africana, candidata quer dar voz às mulheres no Sertão de Alagoas

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Atenção básica à saúde, principalmente para os idosos, e amplo funcionamento da Secretaria de Cultura estão entre as prioridades de Dayane Cristina Almeida, 29 anos, que pela primeira vez disputa uma vaga na Câmara Municipal, no município de Carneiros, no Sertão de Alagoas, pelo Partido Progressista (PP). Agricultora, Dayane é de religião de matriz africana e mais uma na série de reportagens do Eufemea com as mulheres das minorias sociais que disputam o pleito no próximo domingo. Para as mulheres, ela diz que com maior representatividade terão voz no Legislativo. 

“Eu sou uma mulher batalhadora corro atrás dos meus objetivos sou perseverante naquilo que almejo sou de família humilde, mas minha mãe soube me criar mostrando os valores da vida e que é certo e o que é errado”. 

Atualmente ela conta estuda e procuro um emprego e assegura que se eu for eleita suas prioridades serão atenção básica à saúde, sobretudo para os idosos diabéticos. “Quero também fazer com que a Secretaria de Cultura funcione para atender todas as pessoas que precisarem”, afirma. 

“Sou do Candomblé. O ilê que eu frequento é de São José da Tapera (também no Sertão alagoano) e o que me levou a disputar um cargo político foi o cansaço de tanto descaso com a população, tanta humilhação com o povo. Então estou concorrendo para que se eu chegar lá possa mostrar à população que o povo merece ter alguém que os veja, os ajude e não os humilhe”, ela diz. 

E para as mulheres, Dayane destaca que os projetos a serem apresentados por ela no Legislativo terão como foco a ampliação do conhecimento, “para que elas vejam que nós mulheres somos capazes e também termos voz, tendo mais mulheres na Câmara, oportunidades de mais assistência, mais valor à mulher carneirense vai ter”.