Primeira juíza de futebol de Sergipe, Georlize Teles quer espaço de decisão para mulheres em Aracaju

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

O pioneirismo faz parte da história de Georlize Teles (DEM), candidata à Prefeitura de Aracaju (SE), que tem como vice o coronel da Polícia Militar, Péricles de Menezes, do mesmo partido. Ela foi a primeira mulher a apitar futebol em Sergipe e uma das primeiras a ocupar uma vaga num Tribunal de Justiça Desportiva. Também fez parte da primeira turma de delegados concursados do Estado, além de ter sido a primeira mulher secretária de Segurança Pública e de Justiça em Sergipe, bem como secretária municipal de Defesa Social nos municípios de Aracaju e Estância. Sonha agora em dar mais passo e ser a primeira prefeita da cidade.   

É com esse perfil que Georlize propõe uma gestão cidadã, se eleita for. Ao Eufemea ela contou sobre sua trajetória e a pauta que pretende pôr em prática na prefeitura e as ações específicas para as mulheres. 

“Pensar em políticas públicas efetivas para as mulheres e pensar na melhoria de qualidade de vida das famílias aracajuanas.  Nesse sentido, a autonomia econômica é fundamental para que as mulheres possam prover seu próprio sustento e decidir por suas próprias vidas.  É necessário ainda que as mulheres possam ter liberdade e condições favoráveis para escolher sua profissão, planejar seu futuro”, ela diz. 

Georlize considera que “conciliar a vida profissional com a pessoal e, ainda, gerenciar uma casa, não é tarefa fácil. Trabalho, filhos, afazeres domésticos”, o que acaba dificultando o acesso da mulher ao mercado de trabalho.  

“É inegável que houve avanços, entretanto, alguns desafios ainda estão presentes quando o assunto é a presença das mulheres no mercado de trabalho, a discriminação ainda existe e a igualdade ainda não faz parte da realidade da maioria”, ela avalia. 

Georlize: “Grande parte das conquistas das mulheres no mercado de trabalho está ligada ao maior nível de qualificação delas”

QUALIFICAÇÃO DA MULHER 

Para ela, “grande parte das conquistas das mulheres no mercado de trabalho está ligada ao maior nível de qualificação delas. Sendo assim, iremos promover, através da Fundat (Fundação Municipal de Formação para o Trabalho), diversos cursos voltados à capacitação para o mercado de trabalho”. 

Georlize diz ainda que é preciso iniciar um movimento que impulsione o desenvolvimento econômico da cidade, “que não só incentive o empreendedorismo mas como também dê apoio às microempreendedoras que já estão em atividade. É preciso estimular a geração de emprego e renda”. 

Na área da saúde, ela revela que buscará “o fortalecimento do Sistema de Regulação, como a inteligência e observatório da rede de atenção à saúde; a descentralização e hierarquização dos serviços nos diferentes níveis de atenção e a integração das redes assistenciais, a fim de fortalecer a regionalização da saúde”. 

E pontua que também instituirá, se eleita for, “estratégias inteligentes para consolidar as Redes Integradas de Assistência à Saúde da mulher, além de implementar a Política de Atenção Materno Infantil, em vista à garantia da atenção integral ao ciclo gravídico e puerperal”. 

VOZ E VEZ 

Por ser mulher, ela afirma que  conhece bem as dificuldades enfrentadas pela classe para garantir espaço político, de voz e vez.  

“A luta por ter voz ativa em uma sociedade ainda tão excludente não é fácil, as oportunidades ainda não são as mesmas, e os direitos na prática ainda não são iguais.  A responsabilidade é grande, mas é um compromisso meu como mulher, lutar por uma sociedade mais justa e com direitos iguais para todos”, afirma a candidata.

Ela informa que “para o enfrentamento dessa realidade, em nossa gestão a mulher ocupará espaços de decisão, uma vez que  sempre lutei pelo empoderamento da mulher, fazendo valer a máxima de que lugar de mulher é onde ela quiser e que a mulher é capaz de ocupar todos os espaços com sensibilidade, acolhimento, competência, e acima de tudo com absoluto senso de justiça”. 

Ao se autodefinir e explicar as razões que a levaram a ser candidatar ao comando do Executivo municipal, Georlize Teles assim afirma: “Sou uma cidadã que me fiz aracajuana por amor à nossa terra. Aqui me formei em Direito, me tornei delegada de polícia e exerci minhas atividades profissionais. Casei-me, tive e criei meus filhos”, ela conta. 

Ao falar sobre a militância, ela é taxativa: “Quem conhece minha história sabe que eu sempre fui de militância social. Eu sempre fui de um envolvimento pessoal com a sociedade. Quem me levou para a política foi o meu lado técnico e profissional. Isso não tenho dúvida. Venho para a política depois de ocupar vários cargos de gestão. Meu trabalho sempre foi pautado em ações que possibilitaram o efetivo exercício da cidadania”.  

Por Aracaju, por respeito a essa cidade de oportunidades, ressalta Georlize, “me lanço candidata à prefeitura. Trago para a prefeitura a consciência de que tenho responsabilidade com o povo. O meu desejo é levar o povo para a prefeitura e devolver a prefeitura para o seu povo”. 

GESTÃO PARTICIPATIVA 

Na pauta de governo, ela diz que a prioridade são as pessoas e pontua o que definiu para as diversas áreas.  

“É preciso governar pensando o ser humano em sua integralidade, cuidando da Saúde, Educação, Segurança Pública e Sustentabilidade. As pessoas devem ser colocadas como prioridade. Assim, construiremos uma gestão factível, responsável e adequada à demanda dos aracajuanos, não arredando do compromisso com a promoção da vida com dignidade, ética e diálogo, de maneira a possibilitar uma gestão democrática, participativa e eficiente”. 

Políticas públicas também são pensadas para áreas que ela considera prioritárias, como o social e segurança pública.  “Iremos efetivar o programa de Atendimento Especializado para Grupos de Vulneráveis através da integração entre a Guarda Municipal, um Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) e o Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV), da Polícia Civil, com protocolo de atendimento especializado para vítimas de estupro, atentado violento ao pudor e outros crimes relacionados a esse tipo de violência”. 

“Criar os grupos reflexivos conforme prevê a Lei Maria da Penha. Buscaremos fomentar a parceria com o Conselho Tutelar e a Secretaria de Assistência na proteção de crianças e adolescentes, bem como buscar fortalecer vínculos com as famílias e envolvê-las nos programas socioeducativos”, ela informa. 

SEGURANÇA PÚBLICA 

Já  na Segurança Pública a prioridade, conforme Georlize Teles, “serão as ações de prevenção, defesa e promoção da cidadania e controle social, com ênfase na melhoria da estrutura de segurança pública, nos equipamentos públicos com índices mais elevados de violência”. 

“Destaco ainda o fortalecimento da Patrulha Maria da Penha na estrutura da Guarda Municipal, com o objetivo de inibir a reincidência de agressões e promover a assistência integral às mulheres que já receberam medidas protetivas de urgência, determinadas pelo Juizado de Violência Doméstica e Familiar”.  

Como concorrer com os grandes grupos políticos e ter chance de vitória?   

Acreditando que é possível fazer o melhor para a população, através da recuperação da confiabilidade na gestão pública, restabelecendo as condições de funcionamento da cidade pautadas em um desenvolvimento econômico sustentável e justo, comprometido com diretrizes estabelecidas em padrões éticos e transparentes.  

O que eu quero hoje é ser prefeita em Aracaju, porque acumulei experiencia em gestão, nos diversos cargos públicos que exerci mostrando à sociedade meu compromisso. A prefeitura de Aracaju precisa de um gestor comprometido e me reconheço como uma gestora que construiu políticas públicas efetivas por onde passou. Conheço nossa cidade e buscarei acolher a todos, principalmente aqueles que mais precisam da presença do poder público. Quero fazer por toda Aracaju. 

Sei que tenho grandes desafios a enfrentar, porém junto com os aracajuanos, farei uma administração vitoriosa, transformando a cidade de Aracaju em uma “Cidade de Oportunidades” possibilitando adequadas condições de vida para todos. 

Como você pretende levar o povo a participar da gestão e evitar o chamado mandato de gabinete?  

Trago para a prefeitura a consciência de que tenho responsabilidade com o povo. Durante os meus 30 anos de serviço público construí uma história de muito respeito e dedicação à população. Por onde passei sempre as portas estiverem abertas para atender a todos sem distinção, nunca fui uma gestora só de gabinete, sempre estive nas ruas próximo à população. Eu entendo que posso dar a resposta que o povo quer, porque conheço a realidade do povo aracajuano.  Eu acredito em gente, eu só sei trabalhar para gente, porque assim como gente é que me reconheço. Foi assim que o criador fez e nos percebeu, temos que honrar o dom da vida, assim precisamos oferecer qualidade de vida não apenas para alguns, mas para todos, todos tem direito ao respeito e ao exercício da cidadania.