Como casais homoafetivos femininos podem ter filhos? Médica explica possibilidades

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Desde 2011, quando o Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu a união estável entre casais homoafetivos como entidade famíliar, o Conselho Federal de Medicina (CFM) afirma em suas resoluções, iniciando pela de 2013, o direito desses casais e pessoas solteiras, a terem filhos através da reprodução assistida.

Mas afinal, quais são essas possibilidades? Para casais homoafetivos femininos são duas: Inseminação artificial (IIU) e a fertilização in vitro.

Na inseminação artificial, os espermatozóides doados através do banco de sêmen (nacional ou internacional) são inseridos por via vaginal até o útero da parceira que vai gestar.

Já na FIV, existem algumas possibilidades: os óvulos de uma delas fecundados com o sêmen do doador, e ela mesma engravidar, ou os óvulos fecundados de uma pode ser colocado no útero da outra (gravidez compartilhada); além disso também existe a possibilidade dos óvulos fecundados de ambas serem implantados no útero de uma delas.

Lembrando que  a indicação do tipo de tratamento será sempre individualizada, de acordo com a idade, reserva ovariana, avaliação tubária e percentual de chances.

E mais, ainda é possível que uma das parceiras doe seus óvulos, para o banco de óvulos, no programa de doação e óvulos, levando a uma redução considerável nos custos do seu tratamento.