Categorias
Cotidiano Notícias

Homem mata esposa e “limpa” a arma do crime na Bíblia da família

Uma mulher, identificada como Juliete Alves da Silva, de 32 anos, foi morta na madrugada desta sexta-feira (26), no Agreste da Paraíba, Nordeste de Alagoas.

De acordo com a delegada Elizabeth Beckman, o principal suspeito de cometer o crime é o marido Juliete, que limpou a arma do feminicídio em uma Bíblia.

Ainda de acordo com a polícia, vizinhos ouviram os gritos da vítima durante a madrugada. O suspeito acordou uma das filhas de Juliete de 13 ano,  confessou para ela que teria cometido o crime e pediu para a menina avisar uma vizinha e amiga da família sobre o que teria ocorrido.

“Ele matou ela e mandou a filha dela me chamar. A filha, de 13 anos de idade, veio às 4h50 e me chamou em casa, e eu pensei que era mentira. A menina disse: ‘tia, acorda, que ele acabou de matar mainha. Matou!’. Quando fui olhar ela estava com a cabeça machucada”, relatou a vizinha, que acionou a polícia.

As primeiras informações recolhidas apontam que o suspeito estaria tendo episódios de crise de ciúmes, indo buscá-la no trabalho. Uma amiga do casal reforçou que a união dos dois era relativamente pacífica, mas que devido a essa crise de ciúmes a relação estava instável. O casal não tem filhos entre si, mas ela tinha três filhos de um outro relacionamento e cuidava de mais três sobrinhos do marido.

O suspeito limpou a arma do crime na parte do Salmo 102. Seguem alguns trechos:

Tu, porém, Senhor,
no trono reinarás para sempre;
o teu nome será lembrado
de geração em geração.

Tu te levantarás e terás misericórdia de Sião,
pois é hora de lhe mostrares compaixão;
o tempo certo é chegado.

Pois as suas pedras são amadas
pelos teus servos,
as suas ruínas os enchem de compaixão.

Então as nações temerão o nome do Senhor
e todos os reis da terra a sua glória.

Porque o Senhor reconstruirá Sião
e se manifestará na glória que ele tem.

Responderá à oração dos desamparados;
as suas súplicas não desprezará.

Ainda não é possível afirmar se esse Salmo foi escolhido de forma aleatória ou intencional. O suspeito, que não teve a identidade divulgada, segue foragido e será indiciado por feminicídio.

*Com informações do g1

Categorias
Cotidiano Home Notícias

“Editais visam democratizar eventos municipais e não deixar nenhum artista de fora”, diz diretora da Fmac durante capacitação

Artistas maceioenses participaram, na segunda-feira (29), de uma palestra sobre os benefícios da formalização, em um evento promovido pela Fundação Municipal de Ação Cultural (FMAC) junto às Salas do Empreendedor de Maceió e o Sebrae Alagoas.

Oferecida gratuitamente, a capacitação teve como objetivo oferecer instruções aos artistas e produtores culturais de Maceió e mostrar a importância da formalização para os grupos que participam ou desejam participar dos editais do Município voltados a esse segmento.

Na FMAC, existem três editais de credenciamento, permanentemente abertos, que tem por objetivo compor a grade de apresentações e eventos da Prefeitura de Maceió. Por meio desses editais, os grupos artísticos que atuam na capital têm a oportunidade de concorrer às chamadas públicas e participar destas programações, via contrato. Para isso, é necessário atender a algumas especificações definidas por lei, para as contratações e licitações realizadas pelo poder público, como a necessidade do CNPJ.

Os editais atualmente em aberto são o Toca Tudo MCZ, para bandas; o Vem Pra Praça; para grupos artísticos; e o Muralismo, voltado a artistas visuais.

“Esses editais visam democratizar os eventos municipais e não deixar nenhum artista de fora. Mas para participar deles, é necessário possuir o CNPJ”, ressaltou a diretora de Projetos e Convênios da FMAC, Dayse Souza.

Formalizado há mais de 10 anos, o artista visual Levi Paes atualmente participa do edital de Muralismo e foi um dos que compareceram à capacitação. Ele afirma que, após a formalização, percebeu mudanças positivas no gerenciamento do seu trabalho, além dos inúmeros benefícios que são garantidos aos Microempreendedores Individuais (MEI). 

“Além do CNPJ, também há outras vantagens que facilitam a realização do nosso exercício como a contratação por entidades e instituições, as isenções que os MEI têm direito e os benefícios’’ comentou.

A ideia é de que as Salas do Empreendedor levem este tipo de capacitação a outros setores. Foto: Lavínia de Oliveira/Ascom Semec
A ideia é de que as Salas do Empreendedor levem este tipo de capacitação a outros setores. Foto: Lavínia de Oliveira/Ascom Semec

O diretor de Apoio ao Empreendedorismo da Secretaria Municipal de Economia (Semec), Emerson Amancio, explica que a ideia é levar esse tipo de iniciativa e capacitação para mais setores atuantes em Maceió, como forma de conscientizar esses profissionais informais.

“As Salas já fazem esse trabalho de orientar, não somente os MEIS, mas todo a pequena e média empresa instalada na capital sobre os direitos e deveres que elas possuem e que podem auxiliar na melhoria do trabalho realizado, além da contribuição para o Município, como um todo”, informou.

A capacitação aconteceu na sede do Sebrae-AL, no Centro, e contou com a presença do presidente da Fundação Municipal, João Lyra, abrindo o evento.

“Esse momento é necessário para que os profissionais da cultura entendam que enquanto artistas, eles podem ir mais longe. E somente através da formalização eles podem garantir mais autonomia e participarem dos editais de credenciamento disponíveis na FMAC”, pontuou Lyra.

Presidente da FMAC, João Hugo Lyra, destacou importância da iniciativa para o setor artístico. Foto: Lavínia de Oliveira/Ascom Semec
Presidente da FMAC, João Hugo Lyra, destacou importância da iniciativa para o setor artístico. Foto: Lavínia de Oliveira/Ascom Semec

*com Ascom Semec e Ascom Fmac

Categorias
Cotidiano Notícias

Campanha Agosto Lilás: Assistência Social de Anadia realiza evento de encerramento

A Prefeitura de Anadia, através da secretaria de Assistência Social, por meio do Centro de Referência Especializado de Assistência Social(CREAS), realizou nesta segunda-feira (29), o evento de encerramento da campanha Agosto Lilás, que é dedicada ao combate à violência contra a mulher. O encontro que reuniu mais de 130 mulheres, contou com a presença do prefeito Celino Rocha, de representantes da Secretaria de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos e, também, do grupo de mulheres idosas do CRAS.

Na oportunidade, as crianças da ONG Mãos que Ajudam, realizaram a apresentação de peças teatrais, com a temática “Violência contra Mulher e suas faces”, além disso, o momento contou com a palestra das representantes da Secretaria de Estado Ana Caroline e Gabriela Aciole, que apresentaram a Lei Maria da Penha, o trabalho desenvolvido pelo Centro de Atendimento Especializado para Mulheres (CEAM) – que atende mulheres vítimas de violência de todo Estado, além do novo aplicativo de denúncias de violência o ‘Salve Maria’; uma plantação simbólica de flores lilás, em homenagem a todas as mulheres, que lutam em defesa de seu direito à proteção e a vida sem violência, também fez parte da programação, que ao final, teve a distribuição de brindes personalizados.

A secretária de Assistência Social, Vane Santos, falou da importância desse debate e destacou que é preciso orientar as mulheres de quais são seus direitos e como devem agir nesse tipo de situação. “As ações desenvolvidas ao longo de todo o mês foram muito importantes, para que pudéssemos intensificar ainda mais o assunto, quais são os direitos da mulher e como elas devem agir em caso de violência doméstica. O objetivo é trazer visibilidade ao tema para toda sociedade, ampliar os conhecimentos e as ferramentas existentes para o combate à violência, como o Disque 180. Agradecemos a coordenadora do CREAS, Erizan Mascarenhas e toda a sua equipe pela iniciativa”, disse.

*Assessoria

Categorias
Cotidiano Notícias

Prefeitura de Maceió constrói parque canino para convívio coletivo de pets: “momentos de felicidade e alegria”

O ‘Liga Animal – Parque Praça do Skate’, na Ponta Verde, projetado pelo Gabinete da Causa Animal é um espaço exclusivo para que os pets ter rotina de passeios e gastar energias em um espaço dedicado somente para eles.

De acordo com as informações, a construção do espaço recreativo está em fase final e em breve será entregue para a comunidade. 

O espaço conta com divisões para separar cães de pequeno, médio e grande porte. Além de bancos para que tutores descansem enquanto os pets se divertem nas rampas, túneis, obstáculos e casas. O espaço foi totalmente projetado para que os cães possam correr, pular e aproveitar o espaço com segurança.

A coordenadora do Gabinete da Causa Animal, Fernanda Rodrigues, falou sobre a importância da construção de áreas pets em Maceió. 

“Termos esses espaços recreativos para cães na capital é muito propositivo para a saúde de nossos companheiros. Serão áreas cercadas onde os tutores poderão soltar os cães para que eles brinquem com segurança, gastando energia, controlando o estresse e a ansiedade, auxiliando no controle de peso, colaborando com a socialização e aumentando o vínculo com seus tutores. Tudo isso é benéfico para as famílias que poderão proporcionar momentos de felicidade e alegria para seus pets”, explicou a coordenadora. 

O espaço conta com divisões para separar cães de pequeno, médio e grande porte. Foto: Gabriel Moreira / Secom Maceió
O espaço conta com divisões para separar cães de pequeno, médio e grande porte. Foto: Gabriel Moreira / Secom Maceió

A arquiteta Adriana Codá, da Zeladoria do Gabinete do Prefeito, órgão parceiro na construção do equipamento, falou sobre os benefícios do local para a comunidade e pets do Município. 

“Essas áreas têm como finalidade garantir o bem-estar dos pets, uma vez que  fica mais fácil quando se tem um espaço exclusivo para cuidá-los da maneira certa. Afinal, um ambiente dedicado a eles possibilita não só o aumento da interação com outros animais, mas também um maior vínculo com os tutores. Possibilitando também que a população interaja entre si e ocupe os espaços de convívio coletivo projetados pela Prefeitura”, explicou a arquiteta. 

*Com Ascom GGI Causa Animal

Categorias
Cotidiano Home Notícias

Mãe é agredida por filho com soco na boca e desmaia no Agreste de AL

Um homem de 19 anos foi preso após agredir a própria mãe com um soco, na segunda-feira (29), no município de Campo Grande, Agreste de Alagoas.

De acordo com informações da Polícia Militar (PM), quando a guarnição chegou ao local, a vítima estava desmaiada, pois havia batido a cabeça no chão depois de ser agredida com um soco na boca.

Após acordar, a mãe relatou aos militares que foi ameaçada de morte e que os irmãos do suspeito discutiram com ele por ser usuário de drogas.

Os envolvidos foram levados à Central de Polícia Civil de Arapiraca, onde o agressor foi preso por lesão corporal dolosa, violência doméstica e ameaça, com base na Lei Maria da Penha.

Categorias
Cotidiano Home Notícias

Jó Pereira alerta sobre crescimento de crimes de violência contra mulher em AL

Foto: Assessoria

Ao final de mais um Agosto Lilás, o cenário de violência contra mulher segue alarmante e cada vez mais comum. Todo dia é noticiado um novo caso em Alagoas. Dois casos de agressão ocorridos no domingo (28), um em Maceió e outro em Marechal Deodoro, ganharam destaque na mídia nesta segunda (29).

Uma mulher, de 38 anos, foi agredida pelo marido no bairro de Clima Bom, em Maceió. O crime ocorreu domingo e o agressor foi preso. À polícia, a vítima relatou que o conheceu pela Internet e que era a quarta vez que ele a agredia.

Enquanto isso, em Marechal Deodoro, um homem jogou a esposa em cima de garrafas de vidro e a agrediu com chutes. De acordo com o boletim da Polícia Militar, quando a guarnição chegou à residência do casal, a vítima, de 32 anos, estava com um “galo” na cabeça, dentes quebrados e outras lesões pelo corpo. O agressor foi preso em flagrante.

Feminicídio

Casos de violência contra a mulher têm sido cada vez mais frequentes em Alagoas, onde o número de feminicídio cresceu 23,5% de janeiro a julho de 2022, em comparação com o mesmo período de 2021, segundo levantamento da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/AL).

Com mandatos reconhecidos também pela defesa dos direitos das mulheres, a deputada estadual Jó Pereira, candidata a vice-governadora na chapa encabeçada por Rodrigo Cunha, voltou a chamar a atenção para a necessidade da adoção de políticas públicas multissetoriais  e da criação de uma rede de apoio e proteção eficiente no enfrentamento à violência contra a mulher, preocupação recorrente em seus posicionamentos.

De acordo com os dados, nos primeiros meses de 2022, foram registrados 21 feminicídios, contra 17 no mesmo período do ano passado. Apenas no mês de julho, foram seis casos: dois em Maceió, dois em Arapiraca e os outros em Jacuípe e São Miguel dos Campos. Destes, três ocorreram numa mesma semana, onde mulheres foram vítimas dos próprios companheiros.

O caso mais recente de feminicídio ocorreu no dia 21 de julho, em Maceió. Maria Aparecida Bezerra, de 54 anos, foi morta com golpes de faca pelo companheiro Alisson Bezerra, de 44 anos, no bairro do Antares. No dia 19 de julho, em Arapiraca, Diego Fernandes Lira da Silva matou a esposa, Daniela Fernanda Silva Belo, de 29 anos, a facadas na frente dos filhos, de 3 e 5 anos.

Já no dia 14 de julho, um casal foi encontrado morto no quarto da residência que morava no Pontal da Barra, em Maceió. Cláudio Jackson Barbosa dos Santos, de 36 anos, matou a companheira, Maria Elenilda Vieira da Silva, de 28 anos, e depois do crime cometeu suicídio.

Outros tipos de crimes

Mais indicadores de crimes contra a mulher preocupam a população. Alagoas foi o terceiro estado onde mais cresceram casos de estupros de mulheres em 2021, conforme revela o Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2022.

Em 2021, também se registrou aumento de 117,3% de importunação sexual (77 para 168 casos), em comparação ao ano anterior, além de aumento de assédio sexual em 71,7% (29 para 50 casos).

Ainda de acordo com o Anuário, o crime de perseguição à mulher saltou de 3 para 140 casos em Alagoas, um aumento de 4.500%. Além disso, a violência psicológica contra mulheres cresceu 9.200%, saindo de 1 para 93 casos.

Para completar, casos de violência doméstica cresceram 7,2% em Alagoas, terceiro estado do Nordeste em ligações ao 190 para denunciar ocorrências dessa natureza, com 11.849 pedidos de socorro. Os dados são da Segurança Pública Nacional.

Carta Pública

No começo deste mês, a deputada Jó Pereira recebeu, juntamente com outras integrantes da Comissão da Mulher da Assembleia Legislativa, um grupo de mulheres de 47 entidades de classes e outras ligadas aos direitos das mulheres. O grupo entregou as parlamentares uma Carta Pública com demandas e sugestões para o enfrentamento à violência contra mulheres.

Jó também esteve, recentemente, na Secretaria de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos (Semudh/AL) pedindo providências sobre a violência em relação às mulheres motoristas de aplicativos, inclusive sugerindo ações para minimizar os riscos, mas não obteve respostas.

“As soluções em relação à violência contra as mulheres passam por todas as áreas, por uma educação inclusiva e de qualidade, pela equidade de gêneros, por mudanças culturais, pela criação de uma rede de apoio realmente eficiente e por investimentos direcionados na segurança pública. Enquanto não enxergarmos e tratarmos o problema da violência contra as mulheres de forma ampla e multissetorial, continuaremos ostentando essas estatísticas inaceitáveis e vergonhosas”, reafirmou a candidata.  

*com Assessoria

Categorias
Cotidiano Home Notícias

“Mostrar importância de fazer parte da história e ter pertencimento”, diz coordenadora em aula de campo, no Jaraguá

Foto: Célio Júnior/Secom Maceió

Na tarde dessa segunda-feira (29), cerca de 80 alunos da Escola Municipal Marechal Floriano Peixoto, localizada em Ipioca, litoral norte de Alagoas, participaram de uma aula de campo no Jaraguá. O intuito foi apresentar a história do bairro às crianças e comparar com a realidade atual. As pesquisas e produções serão apresentadas no dia 30 de setembro, na 4ª Feira Literária, que terá como tema “Maceió e suas belezas”.

As crianças caminharam pela Praça Dois Leões, Rua Sá e Albuquerque, Igreja Nossa Senhora Mãe do Povo, Memorial da República, Museu da Imagem e do Som de Alagoas (MISA), Estátua da Liberdade e finalizaram o passeio conhecendo o Coreto.

Alunos conhecem a réplica da estátua da liberdade. Foto: Célio Júnior/Secom Maceió
Alunos conhecem a réplica da estátua da liberdade. Foto: Célio Júnior/Secom Maceió

Mônica de Assis é coordenadora da escola. Ela explica que o objetivo é que os estudantes comparem as fotos antigas com o cenário atual das ruas históricas. Além disso, a intenção também foi mostrar a importância de fazer parte de uma história e ter pertencimento sobre ela. “Quem sabe no futuro teremos um novo Floriano Peixoto”, destaca.

Uelisângela de Melo, professora da escola, ensina as crianças como a rua foi construída dentro dos aspectos físicos e sociais e mostra os prédios históricos que ficam no local. “Até então ela já era considerada como uma das ruas mais importantes e agora será a mais trabalhada em sala de aula”.

Estudante Débora Camila, 8 anos, conheceu a réplica da estátua da liberdade. Foto: Bárbara Wanderley/Secom Maceió
Estudante Débora Camila, 8 anos, conheceu a réplica da estátua da liberdade. Foto: Bárbara Wanderley/Secom Maceió

A aluna Débora Camila, 8 anos, sempre viu a estátua da liberdade pela televisão e tinha o desejo de conhecer a réplica pessoalmente. Com a aula de campo, ela conheceu a réplica do monumento e a animação tomou conta ao tirar uma foto com ela.

Matheus, 9 anos, curtiu o passeio com empolgação. Foto: Bárbara Wanderley/Secom Maceió
Matheus, 9 anos, curtiu o passeio com empolgação. Foto: Bárbara Wanderley/Secom Maceió

Com a maior empolgação, o aluno Matheus, 9 anos, também fala que viu a estátua pela primeira vez.

“Estou muito animado com a aula, achei legal a tiara pontuda e a tocha”. Em seguida eles visitaram o MISA, onde conheceram réplicas de computadores antigos e máquinas fotográficas. Os telefones também estão expostos e Matheus logo lembrou: “Minha bisavó ainda tem um desse”, contou.

*com Secom Maceió

Categorias
Notícias

Projeto ‘Iprev vai até você’: “linguagem fácil e acessível para os servidores”, diz assessora técnica em palestra

Foto: Ascom Semas

O Instituto de Previdência dos Servidores Públicos de Maceió (Iprev) fez esclarecimentos e respondeu as principais dúvidas dos profissionais que trabalham na Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) sobre aposentadoria. O bate-papo ocorreu na sede da Semas, no bairro do Poço, nesta terça-feira (30), e reuniu 50 pessoas.

O evento faz parte do projeto “Iprev vai até você”, iniciado no ano passado e que já visitou quase todas as secretarias municipais. O objetivo é levar informações para as pessoas que estão prestes a se aposentar ou até aquelas cujo tempo de aposentadoria já passou.

Na Semas, a demanda por esclarecimentos foi identificada pela coordenadora geral de Gestão de Pessoas, Geane Alves. Ela conta que recebe com frequência dúvidas sobre qual o melhor momento para dar entrada na aposentadoria, como fica a situação das progressões durante o processo, qual a documentação necessária.

“Constatamos junto ao Iprev que eles possuíam esse projeto para tirar as dúvidas dos servidores pessoalmente, e é de suma importância, porque nos tornamos parceiros do Iprev e melhoramos a vida do servidor, que não vai precisar ir até lá para receber esses esclarecimentos”, destacou.

Ana Lúcia Couto, assistente social e assessora técnica do Conselho Municipal LGBT da Semas, achou a iniciativa interessante e aproveitou para tirar todas as suas dúvidas no evento.

“A questão da aposentadoria tem várias nuances que a gente desconhece, e o projeto traz uma linguagem fácil, muito acessível. O Iprev se modernizou, criou várias linhas de comunicação, tem agendamento, Whatsapp, e-mail, ou seja, estão usando a tecnologia a favor do servidor, isso é muito bom”, elogiou.

A também assistente social Paula Chaves Lucas, que é coordenadora do Cras Bela Vista, disse que desde a reforma da previdência de 2019 tem dificuldades para entender as regras de transição e em quais ela se enquadra. Hoje, tirou a manhã para fazer as perguntas sobre sua situação junto ao Iprev.

“Esses cálculos para a minha aposentadoria ainda estão confusos na minha cabeça. Eu também gostaria de saber se vale a pena investir em uma previdência privada, então tirei dúvidas, recebi orientação e agora entendi melhor. A gente lê, conversa com os colegas, mas nada como alguém do Iprev para nos orientar”, ressalta.

De acordo com a coordenadora de Atendimento do Iprev, Lisieux Ferro, as demandas que chegam ao órgão geralmente são sobre regras de transição, perdas financeiras, tempo de contribuição, idade, tempo de serviço e outras. Por isso, foram criados canais para facilitar o acesso do servidor ao Instituto.

Hoje, o site do Iprev conta com um simulador de aposentadoria (clique para fazer a simulação), e tem ainda atendimento pelo WhatsApp (82) 8882-8072, no disque Iprev, no (82) 3312-5250, por e-mail: atendimento@iprev.maceio.al.gov.br e pessoalmente por meio de agendamento no site.

“Os ganhos são enormes, primeiro para sanar as dúvidas e inquietações dos servidores. Segundo que facilita muito a questão da documentação. Cada tipo de aposentadoria exige uma documentação, como de professor por exemplo, e esse requerimento pode ser solicitado por e-mail ou Whatsapp. A pessoa vai fazer o check list de tudo o que precisa levar na hora de se aposentar”, explica a coordenadora.

Para Cláudio Beirão, diretor de Benefício Previdenciário do Iprev, o programa humaniza o atendimento ao público. “A gente se aproxima mais dos servidores. À medida que a gente conversa, eles planejam melhor o momento de parar. Conseguimos ultrapassar essa barreira que impede o relacionamento do servidor com o Iprev. Eles estão conseguindo entender bem. A ideia é humanizar o atendimento ao servidor, por meio do contato pessoal, eles sentem que tem uma pessoa e não uma máquina falando com eles”, afirma.

Categorias
Cotidiano Home Notícias

Médico condenado por violação sexual contra pacientes volta a atuar como professor na Ufal; relembre os casos

Em 2019, o médico Adriano Antônio da Silva Pedrosa foi condenado a cumprir pena de 9 anos, 10 meses e 40 dias de prisão pelo crime de violação sexual mediante fraude contra três pacientes abusadas durante atendimento médico em um posto de saúde do povoado de Marceneiro, no município de Passo de Camaragibe, no Litoral Norte de Alagoas. 

As denúncias foram propostas pela Promotoria de Justiça de Passo de Camaragibe em 2015 e em 2019. Agora, após uma decisão judicial, o médico voltou a reintegrar o quadro de professores da Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

No primeiro caso, a vítima se queixou de caroços no nariz, no entanto, o médico a despiu e, com uma luva e fazendo uso de um gel, mexeu nas suas partes íntimas, alegando que aquele era um procedimento de rotina que precisava ser feito em todas as pacientes que iam até o seu consultório.

Já em 2019, mais duas mulheres denunciaram a conduta do médico. “O crime praticado por ele tinha sempre o mesmo modo de agir: a vítima era despida dentro da unidade de saúde, mesmo não tendo procurado socorro para reclamar de quaisquer problemas ginecológicos e, após vestir uma luva em suas mãos, o médico molestava as pacientes sob o pretexto de investigar se elas estavam ou não com alguma doença nos órgãos genitais. Na verdade, essa era apenas uma desculpa usada por ele para praticar o abuso”, comentou o promotor Ary Lages na época.

Os casos

E um dos casos citados pelo promotor, uma das pacientes buscou atendimento na unidade básica de saúde após sentir dor na virilha.

“Relatou o fato ao médico e, o mesmo, em vez de tomar as providências pertinentes ao caso, ludibriou-a, levantando a sua blusa, apalpando seus seios e tirando sua calcinha. Em seguida, ele colocou uma luva com gel e tocou o órgão genital da vítima, que questionou sobre a necessidade daquela conduta. O médico respondeu que estava tentando fazê-la expelir algum líquido que, por ventura, a paciente tivesse retido”, diz um trecho da ação. Tal procedimento teria durado cerca de 40 minutos.

Já em 2018, outra mulher procurou o mesmo posto de saúde, a fim de que o médico analisasse o resultado de um exame de abdômen total. “Sem praticamente olhar o exame que a vítima tinha levado, ele determinou que a paciente deitasse na maca, e começou a tirar a sua roupa, primeiro sendo a parte de cima, onde alisou os seios dela e, depois, a parte de baixo, deixando-a totalmente despida. Determinou ainda que a vítima levantasse as pernas, colocou uma luva com gel e iniciou o ‘procedimento’, tendo passado, aproximadamente, uns 20 minutos manuseando a vagina da paciente, também sob o pretexto de expelir um líquido”, relembrou o promotor de justiça.

Reintegração do médico

A assessoria de Comunicação da Ufal disse à reportagem do CadaMinuto que o Processo Administrativo (PAD) aberto pela universidade é considerado sigiloso e, segundo o Departamento de Administração de Pessoal (DAP), o retorno do médico “se deu por ordem do juiz, já que antes os atendimentos dele aconteciam apenas de forma remota”.

A reportagem entrou em contato com o médico, mas não conseguiu. O espaço está aberto para qualquer esclarecimento.

*com informações da assessoria do MP

Categorias
Cotidiano Home Notícias

Agosto Lilás e Dourado unem ações e ampliam serviços para mulheres em Maceió: “saúde preventiva”

Foto: Juliete Santos/Secom Maceió

O Programa Empodera Mulher na Comunidade levou uma série de ações em referência às campanhas Agosto Lilás e Agosto Dourado. Na última sexta-feira (26), a programação da Prefeitura de Maceió ocorreu ao lado do Papódromo, no bairro Vergel do Lago, das 9h às 16h e disponibilizou para as mulheres a pintura gestacional, book fotográfico, palestras sobre o empoderamento e violência contra a mulher e outros serviços.

É válido ressaltar que o Agosto Dourado tem como alusão o aleitamento materno, enquanto que a campanha do Agosto Lilás impulsiona o combate à violência contra a mulher. Os dois projetos são desenvolvidos pelo Gabinete de Políticas Públicas para Mulheres.

Gabinete de Políticas Públicas para Mulheres preparou uma programação especial para as campanhas do Agosto Lilás e Dourado. Foto: Juliete Santos / Secom Maceió
Gabinete de Políticas Públicas para Mulheres preparou uma programação especial para as campanhas do Agosto Lilás e Dourado. Foto: Juliete Santos / Secom Maceió

A secretária do Gabinete da Mulher, Ana Paula Mendes, explica que as campanhas têm o objetivo de levar cidadania, empoderamento e cuidados para as mulheres e crianças. “Alinhamos as duas campanhas em um projeto só para falar sobre a violência contra a mulher e o aleitamento materno. É isso que a Prefeitura faz, leva serviços de qualidade para as pessoas que realmente precisam”.

Aisia Patrícia está grávida de uma menina e a data do parto estava prevista para o dia do evento, mas aproveitou os últimos momentos para fazer a pintura gestacional e tirar as fotos do book. “Esse momento especial vai ficar registrado, vou ter fotos logo do último dia da minha gestação”.

Ao contrário de Aisia, Josenilda da Silva está grávida de seis meses e não vê a hora de conhecer o Joel. “Estou vivendo um grande amor na primeira gestação. Esta ação será uma lembrança que vou levar para sempre, e com certeza, vou mostrar ao meu filho”.

A primeira-dama de Maceió, Marina Cândia, tem participado ativamente das campanhas e destaca a relevância das atividades para as famílias.

“Hoje é um dia de extrema importância, fico muito feliz de ter uma adesão tão grande. O mais importante é a conscientização, saúde preventiva e poder debater políticas públicas para as mulheres, porque, por exemplo, é a primeira vez que a prefeitura fala abertamente para a população sobre o aleitamento materno”, afirma.

Primeira-dama, Marina Candia, tem participado das campanhas e destaca que ações contemplam mulheres nas comunidades. Foto: Juliete Santos / Secom Maceió
Primeira-dama, Marina Candia, tem participado das campanhas e destaca que ações contemplam mulheres nas comunidades. Foto: Juliete Santos / Secom Maceió

Durante a programação, as mulheres ainda aproveitaram para cuidar da saúde e fizeram o teste rápido, que identifica doenças sexualmente transmissíveis como HIV, Sífilis e Hepatite B ou C.  Daniela Costa é enfermeira e afirmou que mais de 120 testes foram realizados durante as atividades.

“É uma forma de prevenção porque por meio deles tem o diagnóstico precoce e elas podem tratar qualquer uma das doenças com as condutas certas. O resultado fica pronto em 15 minutos e a mulher a partir de 14 anos que já iniciou a vida sexual, pode fazer o teste”, diz a enfermeira.

Cássia Maria cuida bem da saúde e reforça a necessidade de fazer exames de rotina. “É sempre importante participar dessas atividades porque despertamos para cuidar da saúde”.

A cantora Mel Nascimento levou a calmaria da música para o evento e reforça a necessidade de falar sobre esse tema diariamente. “Precisamos colocar o público para ter mais acesso às informações que oferecemos, porque que mais pessoas ficam sabendo e formam uma espécie de formiguinha, que sempre ajuda a outra para o cenário mudar”.

Ação no Vergel do Lago contou com atração musical. Foto: Juliete Santos / Secom Maceió
Ação no Vergel do Lago contou com atração musical. Foto: Juliete Santos / Secom Maceió

As crianças também aproveitaram para mergulhar no mundo da imaginação com a Maria Lúcia Melo, que é técnica pedagógica e contadora de histórias na Biblioteca Móvel de Maceió, um projeto da Secretaria Municipal de Educação (Semed). “Além da criatividade, os livros encantam as crianças e proporcionam o estímulo, desenvolvimento e gosto pela leitura”.

Depois de ter aproveitado os serviços, como a massagem e o teste rápido, Mariana dos Santos levou a filha Alana, de 5 anos, para conhecer a biblioteca móvel. “É um grande incentivo para comunicação dela com os amiguinhos, ela também já vai crescendo e conhecendo as imagens, as cores e gostando dos livros”.

*com Secom Maceió

Categorias
Cotidiano Home Notícias

Agosto Lilás: Justiça promove palestras para mulheres em São Miguel dos Campos

A 4ª Vara Criminal de São Miguel dos Campos realizou um evento com palestras sobre violência doméstica voltadas para mulheres usuárias de serviços sociais no cidade (Creas e Cras), nesta segunda-feira (29). 

Com o tema “Enfrentamento à violência doméstica: não basta lutar, tem que superar”, a atividade faz parte da da campanha do Agosto Lilás, e visa informar sobre a Lei Maria da Penha e levantar a bandeira da superação dos traumas deixados pela violência doméstica na vida das mulheres.

A juíza Laila Kerckhoff, titular da 4ª Vara, abriu o evento falando sobre os diversos tipos de violência doméstica, para além da violência física, como a psicológica, sexual e a patrimonial.

“A ideia foi informar sobre como e onde elas podem procurar ajuda, e também conversar com a rede de proteção, para que nós uníssemos força. Pretendemos sobretudo mostrar que mesmo diante da violência doméstica, é possível as mulheres lutarem e superarem”, disse a magistrada.

Durante sua exposição, Laila Kerckhoff utilizou, para fins didáticos, vídeos da campanha Superar é Viver, produzidos pela Diretoria de Comunicação do Tribunal de Justiça de Alagoas, e de outras fontes. 

O Núcleo da Mulher, criado dentro da Delegacia de São Miguel dos Campos por meio de parceria com a Prefeitura, foi tema da palestra do delegado da cidade, João Marcelo Almeida. A estrutura oferece um tratamento humanizado para as vítimas que vão ao local denunciar violência doméstica.

“Muitas vítimas não querem ir à delegacia. Realmente é uma ambiente muito masculinizado, mas aqui temos esse Núcleo e a vítima é atendida por essa servidora que é preparada para fazer um atendimento humanizado”, explicou João Marcelo.

A secretária municipal da Mulher e Direitos Humanos, Quitéria Julião, enalteceu a importância da união da rede de proteção à mulher no evento, e falou sobre ações da Prefeitura na área.

“Trabalhamos com palestras nas escolas, nas UBSs, e temos um projeto no qual a cada mês, nós vamos a um bairro da cidade, e as mulheres podem fazer a denúncia ali mesmo, então é dessa forma que a gente está conseguindo enfrentar a violência contra a mulher aqui no Município”, contou a secretária.

Também participaram do evento a assistente social Alessandra Silva e a psicóloga Maria Heloise, da equipe multidisciplinar da Comarca; o promotor Arlen Brito, da 3ª Promotoria Criminal da cidade; a advogada criminalista Carla Lins; e a secretária de Saúde municipal, Adeline de Carvalho.

*Com TJ

Categorias
Cotidiano Notícias

Crianças têm dia de lazer: “eles ficaram muito felizes”

A Prefeitura de Maceió cuida para que nas Unidades de Acolhimento Institucional da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), a garotada tenha uma rotina como a de qualquer criança e adolescente. Hora de fazer refeições, dormir, acordar, estudar e se divertir.

No último fim de semana, crianças e adolescentes da Casa de Passagem Luzinete Soares, da unidade Acolher e da Casa Lar, tiveram um dia de lazer e visitaram o Parque Shopping, lancharam no Mac Donald’s, na ação do Mac Dia Feliz, e depois foram conhecer o Marco dos Corais, na orla de Ponta Verde. Os meninos e meninas da Unidade de Acolhimento de Adoção Rubens Colaço também receberam lanches do Mac Donald’s.

A coordenadora-geral dos abrigos da Semas, Rosângela Melo, acompanhou as crianças no passeio e contou que eles amaram o dia de diversão.

“Eles ficaram muito felizes. Falaram que agora querem passear todos os dias. Esses passeios estavam acontecendo de forma ponderada por conta da pandemia, mas agora com todos vacinados, montamos um cronograma até dezembro. Lembrando que toda criança e adolescente, mesmo tendo suas limitações, participam desses passeios. A inclusão é muito importante para a evolução deles, pontuou Rosângela.

Crianças e adolescentes lancharam no Mac Donald’s, na ação do Mac Dia Feliz. Foto: cortesia
Crianças e adolescentes lancharam no Mac Donald’s, na ação do Mac Dia Feliz. Foto: cortesia

A Semas mantém em funcionamento quatro unidades acolhimento: Serviço de Acolhimento Institucional de Adoção Rubens Colaço, que recebe crianças de 0 a 7 anos. A Casa de Passagem Luzinete Soares de Almeida, que atende meninas de 7 a 17 anos. A Unidade de Acolhimento Institucional Acolher, que assiste meninos de 7 a 17 anos e a Casa Lar, que recebe grupos de irmãos biológicos de ambos os sexos de 7 a 17 anos, que por algum motivo, tiveram que ser afastados do vínculo familiar. Atualmente estão sendo assistidas 44 crianças e adolescentes nesses abrigos.

*Com Semas