Compra de produtos eróticos cresce durante a pandemia; veja o que mais se procura

A pandemia do novo coronavírus prejudicou alguns setores da economia, mas o setor de produtos eróticos sentiu um movimento contrário: desde que o isolamento social começou, o mercado registrou uma alta. Dos produtos comprados, os vibradores e os produtos para sexo anal são os mais vendidos.

O Eufemea entrevistou duas empresárias que perceberam o aumento das vendas. Segundo elas, o momento atual que o mundo vive contribui para que os casais e os solteiros saiam da rotina experimentando produtos novos.

A empresária e educadora sexual Laylla Brandão tem o CG sex shop há 8 anos. Segundo ela, o aumento nas vendas de produtos durante a pandemia foi de 40% e os produtos mais vendidos são os vibradores.

“Acredito que a liberdade sexual feminina tenha influenciado nesse aumento. Hoje, com a ausência de grandes contatos para o sexo, por conta da pandemia, está acontecendo uma busca pelo prazer individual”, disse.


“Já para os casais existe uma busca pela versatilidade no sexo com brinquedos e produtos”, explicou a educadora.

Laylla divulga os produtos pelo Instagram (cgsexshop) e as vendas são fechadas também pelo whatsapp. Antes da pandemia, a educadora em sexualidade também fazia venda presencial e realizava consultoria, mas por causa do isolamento, ela precisou interromper.

“Fiz mais pedidos semana passada por causa da demanda. Vem vibrador e plug anal a torta e à direita. Eles são entregues embaladinhos bem discretos. Ano passado eu estava vendendo mais por causa das consultorias e eventos, mas esse ano pessoas de outros estados estão buscando os produtos que estamos enviando pelos Correios”.

Brandão comemora não só as vendas, mas também o resultado da procura. “Isso mostra o quanto estamos buscando sair da zona de repressão que nossa cultura patriarcal nos plantou. Nós mulheres fomos cortadas ao meio, quando buscaram nos privar do nosso próprio prazer”.

Mulheres ainda compram mais

Ane Mendes tem o Nudo Íntimo faz um ano, mas ficou surpresa com a quantidade de pedidos que começou a receber desde que o isolamento social começou. O aumento no número de vendas foi de 70%. Mendes utiliza o Instagram (@nudointimo) para divulgar os produtos.

“Nunca imaginei que poderia acontecer esse aumento. Essa época, no ano passado, eu não tinha vendido tanto assim”, disse. A empresária faz entrega por meio de delivery com todos os cuidados necessários por causa da pandemia e de maneira discreta.

Produtos para sexo anal como lubrificantes, plug anal, entre outros, estão entre os mais vendidos. Além deles, os vibradores também lideram o ranking. “Está saindo bastante”, conta.

A empresária ressaltou que as mulheres continuam sendo as que mais compram, mas que os casais que a procuram dizem que querem sair da rotina. “Eles querem algo para mudar e pedem sugestão. Percebi que durante o isolamento, os homens também estão comprando mais”.