Quando os grupos de whatsApp formados por mulheres viram redes de apoio

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Antes mesmo da pandemia começar me colocaram em dois grupos no Whatsapp. Os grupos são formados por mulheres. Algumas já eram minhas amigas de longas datas. Outras nem tanto. São nesses dois grupos que debatemos – todos os dias – sobre assuntos diversos: maternidade, sexo, relacionamentos, família, notícias. E também desabafamos. E ah, como desabafamos! É uma terapia em grupo.

Nesse meu processo de autoconhecimento e na minha busca por ser cada vez mais uma mulher mais forte, destemida, guerreira, eu entendi que esses dois grupos não eram apenas grupos de whatsapp. Mas que eles eram uma verdadeira rede de apoio. De vez em quando, os dias não estão legais, e são nos grupos que encontramos sorrisos, abraços virtuais e conselhos. 

Também encontramos opiniões diferentes, mas aprendemos a respeitar, ouvir e acolher. E sabe qual o maior ensinamento que tirei sobre esse tempo que venho conversando com essas mulheres? Que divido o peso de ser mulher com elas.

Não é fácil ser mulher. Por mais que eu tente explicar como é ser mulher para um homem, ele não vai entender. Ele não vai entender quais são as minhas dores. 

Em uma dessas semanas estávamos conversando sobre exames ginecológicos e descobrimos que uma das nossas amigas não fazia alguns dos exames. Conversamos e mostramos à ela a importância de se cuidar, de curar traumas e de buscar a saúde. Entende por qual motivo é tão necessário ter essa rede feminina?

Sororidade: deixar a rivalidade de lado e estabelecer o apoio mútuo e saudável entre as mulheres. É disto que precisamos para o fortalecimento feminino. 

Não importa como funciona sua rede de apoio. Não importa quem seja. Mas é fundamental que se tenha esse elo feminino para que você entenda que, neste mundo, não está sozinha. E que independente do que acontecer, você tem com quem contar. Afinal, é isso que vale na vida.