Advogada tem trombose causada por anticoncepcional após pegar covid: “Estou com a mobilidade comprometida”

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Foi no dia 19 de dezembro que a advogada Jéssica Delmoni, de 29 anos, apresentou o primeiro sintoma da covid-19. Os sintomas foram considerados leves, mas a advogada descobriu um problema maior com o passar do tempo: por causa do anticoncepcional, Jéssica teve trombose nos braços e está fazendo tratamento. Agora, após essa situação, a advogada faz um alerta para outras mulheres.

A advogada disse que de todos os sintomas causados pelo vírus, ela teve febre, dor no corpo e dor de barriga. “Eu só tive três dias de sintomas”, contou.

Mas foi no quinto dia de covid que Jéssica notou algo estranho. O braço esquerdo dela começou a inchar e ela ficou com a mobilidade comprometida. “Como eu tinha ido ao hospital e tinha tomado soro, eu achei que tinha sido por isso”.

Jéssica fez fisioterapia, usou pomada e compressa. Após a covid, o braço direito de Jéssica começou a apresentar alguns sinais de que não estava bem. A advogada iniciou uma saga para chegar até um diagnóstico.

“Eu achei estranho e coincidência. Foi quando comecei uma saga de exames e consultas. Quando fiz a ultra do braço direito deu um trombo. Aí fui à médica e no dia da consulta, ela fez outra ultra no braço esquerdo e viu que o trombo havia expandido e estava no ombro”, reforçou.

Jéssica que se ela demorasse mais um pouco, o trombo poderia chegar ao pulmão. Segundo ela, na família dela não há histórico de trombose.

“Era algo que eu não esperava”. Porém, foi a partir dessa consulta que foi identificado que o problema da trombose havia sido causado pelo uso do anticoncepcional.

“A médica disse que tem recebido muitas jovens que usam anticoncepcional e que tiveram trombose. Eu uso faz pouco mais de 1 ano”, enfatizou.

Por causa da trombose, Jéssica está impedida de fazer exercício e esforço físico por 30 dias. “Eu vou precisar fazer o tratamento de 3 a 6 meses”. Hoje em dia, o braço direito dela está com a mobilidade comprometida.

A advogada disse que assim que descobriu o diagnóstico, ela enviou uma mensagem de alerta para as amigas. “Dei o alerta que ao menor sinal que o corpo der, procure um médico. Essa doença reage de forma diferente em cada corpo”.