Minha experiência: “coletor menstrual me deixa confortável e segura”

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Conheci o coletor menstrual em 2016 e, desde então, não deixei mais de usar, mesmo após um pequeno incidente (que conto mais adiante). Hoje, nessa proposta do Eufemea em compartilharmos nossas experiências, conto um pouco sobre a minha e dou algumas dicas para quem nunca utilizou, mas tem vontade.

De primeira, achei que o coletor seria desconfortável, mas já passei por diversos imprevistos com outros métodos mais “tradicionais”. Então, no final daquele ano, precisava fazer uma prova de longa duração, que cairia no período da minha menstruação, e resolvi comprar o coletor porque achei que estaria mais segura.

Nem passou pela minha cabeça que poderia ter dificuldade no primeiro uso. De fato, minha primeira experiência acabou sendo muito tranquila e aderi de vez. Até hoje, não encontrei nenhum outro método que me deixe tão segura e confortável. Depois de colocar, não sinto nada e sempre esqueço que estou menstruada.

No meu caso, normalmente consigo passar cerca de 6 horas, que seria o período de ir para o trabalho e voltar para casa, sem precisar esvaziar o coletor. Porém, acho importante esclarecer que sempre tive um fluxo mais moderado.

Um ponto que considero importante destacar é que, até um tempo atrás, só costumava sentir cólicas pré-menstruais. Mas, nos últimos meses, comecei a sentir bastante no primeiro dia da menstruação. Conversando com uma amiga, percebemos que, em ambas, o coletor provocava mais cólicas no primeiro dia do ciclo. Não sei exatamente qual a explicação para isso, mas, na prática, não utilizar o coletor nesse dia tem sido melhor. Então, hoje só uso a partir do segundo.

Já li e ouvi muitos relatos sobre o receio de mulheres para aderir ou dificuldade para colocar. Confesso que nem sempre acerto a forma ideal para mim, mas, no geral, o que acaba “vazando” é bem insignificante. Com outros métodos já tive problemas bem maiores.

Também ouvi mulheres falarem que preferem cortar o “cabinho” que fica na ponta do coletor. Particularmente, me sinto mais segura com ele e não me dá nenhum tipo de incômodo.

Existem muitas formas de inserir o coletor e é possível encontrar o melhor jeito e posição para cada uma. Um pouco mais abaixo vou deixar algumas sugestões que tive acesso quando comecei a utilizar.

Para retirar o coletor, recomendo sentar no vaso, relaxar e puxar de uma vez pelo cabo. Mas, claro, existem outras formas. Algumas mulheres preferem deitar na cama, por exemplo.

Caso decida testar e ainda esteja insegura, acredito que colocar um absorvente comum junto ajuda para que fique mais confortável. Desse jeito você pode evitar algum vazamento, se não inserir de forma adequada.

A última dica que deixo é: quando colocar para ferver no início e fim do ciclo (uma recomendação muito importante, inclusive), não esqueça. Coloque um despertador ou algo do tipo. Uma vez aconteceu comigo, deixei por cerca de 1 hora no fogo e rasgou completamente. Demorei algum tempo até criar coragem de comprar outro, mas não desisti.

Tipos de dobras:

Foto: Getty Images

Onde encontrar

O valor do coletor menstrual geralmente varia entre R$ 48,00 e R$ 110,00. As duas vezes em que comprei foram na loja física da farmácia Pague Menos, aqui mesmo em Maceió, da marca Dauf e custou cerca de R$ 60,00.

Apesar do valor parecer mais alto do que absorventes comuns, ele sai mais barato com o tempo, devido a durabilidade e possibilidade de reutilizar.

É possível encontrar algumas marcas, como a da Fleurity, nas unidades da Drogasil. Inclusive, lá também são vendidos os aplicadores.

Na internet dá para comprar diferentes marcas, como Inciclo, Fleurity e Korui. A maioria possível site próprio, mas também estão disponíveis para venda na Amazon, por exemplo.

Existem kits com mais de uma unidade, por um preço mais barato. É válido para dividir com alguma amiga ou, caso queira ter dois.