Apenas quatro dos sete candidatos ao Governo de AL têm propostas para pessoas com deficiência

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Foto: Freepik

Apenas quatro dos sete candidatos ao Governo de Alagoas incluíram propostas voltadas para pessoas com deficiência em seus planos de governo que foram enviados ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Os candidatos Bombeiro Luciano Fontes (PMB), Luciano Almeida (PRTB), e Cícero Albuquerque (PSOL) não apresentaram propostas para o público. Já Collor (PTB), Paulo Dantas (MDB), Rodrigo Cunha (UB) e Rui Palmeira (PSD) abordam o tema em seus planos. Confira:

Collor (PTB)

Foto: Reprodução/internet

O candidato ao governo de Alagoas cita pessoas com deficiência física ao abordar atletismo e programa de assistência.

Confira as propostas:

  • Programa de Assistência ao Idoso e ao Deficiente;
  • Assim, são propostas metas que preveem o desenvolvimento de ações com crianças, jovens e adultos que compõem a população alagoana, utilizando o esporte como catalizador de ações relacionadas com a educação, saúde e trabalho, priorizando a participação dos atletas com deficiências físicas, visando a um processo de superação de barreiras sociais e físico-estruturais.

Paulo Dantas (MDB)

Foto: Reprodução Redes Sociais.

O governador de Alagoas afirma que irá criar programa intersetorial de apoio ao estudante com deficiência, campanha de combate à violência e incluir cotas para o grupo.

Confira as propostas:

-Criar programa intersetorial de apoio ao estudante com deficiência e autismo;
-Criar campanha de combate à violência contra idosos e pessoas com deficiências.
-Criar programa de formação continuada aos servidores públicos para aprimorar o atendimento às pessoas com deficiência;
-Incluir cotas para pessoas com deficiências nos novos contratos para prestação de serviços no Estado;

Rodrigo Cunha (União Brasil)

Foto: Assessoria

O senador aborda a inclusão para pessoas com deficiência nas áreas de segurança, educação, saúde e lazer.

Confira as propostas:

-Proteção da Juventude, Mulheres, Idosos e Pessoas com Deficiência;

-Reduzir o déficit habitacional, estruturando um amplo Programa de Habitação, tendo como público elegível, famílias em situação de maior vulnerabilidade, priorizando famílias com mães-solo e mulheres vítimas de violência, pessoas com deficiência e idosos, bem assim iniciativas voltadas à construção, reforma e adequação de moradias precárias;

-Estruturar, reestruturar, fortalecer e consolidar as redes de atenção à saúde, considerando diretrizes e normativas estabelecidas na esfera nacional (Rede Cegonha; Rede de Cuidado à Pessoa com Deficiência;

-Fortalecer e ampliar a Rede Credenciada de Atendimento às Pessoas com Deficiência;

-Apoiar e cooperar com os municípios tendo em vista o atendimento educacional especializado a estudantes com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação, abrangendo a articulação com Universidades no suporte ao trabalho dos profissionais do ensino junto a esses segmentos, além do investimento em adequação arquitetônica, transporte acessível e disponibilização de material didático apropriado e de recursos de tecnologia assistiva, sempre que identificada a necessidade;

-Fortalecer iniciativas e ações voltadas à inclusão de crianças e adolescentes com deficiência no ensino regular, buscando a participação de entidades especializadas na formação e capacitação de professores, oferta de material pedagógico, incluindo a atenção aos casos de comprometimento mental e deficiências múltiplas, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação;

-Apoiar os municípios na implantação/implementação de iniciativas que promovam a adaptação e o acesso a atividades esportivas e de lazer para pessoas com deficiência, a exemplo do futebol, vôlei e basquete, bem como o banho de mar ou de rio, usando cadeiras anfíbias, para pessoas com pouca ou nenhuma mobilidade.

Rui Palmeira (PSD)

Foto: Assessoria

O candidato do PSD e ex-prefeito de Maceió aponta que irá aplicar recursos às famílias com PCD, fortalecer políticas públicas para o público, assegurar o acesso aos destinos turísticos e aumentar a quantidade de escolas que possuem dependências acessíveis.

-Aumentar a quantidade de escolas que possuem dependências acessíveis às pessoas com deficiência;

-PROGRAMA AUXÍLIO ALAGOAS; Visa ampliar recursos às famílias com idosos com mais de 65 anos, com casos de cegueira, Síndrome de Down, PCD, deficiência mental e intelectual, transtorno ou doença mental, transtorno do espectro autista e trabalho temporário no meio rural;

-Fortalecer políticas públicas em direitos humanos e implementar ações afirmativas que contemplem temas de suma relevância: gênero; infância e juventude; velhice; deficiência; questão étnica e racial;

-Assegurar o acesso aos destinos turísticos por meio de melhorias no acesso geral e nos transportes. Esta proposta visa ao desenvolvimento de um programa de melhoria da infraestrutura das cidades turísticas tendo como objetivo o incremento da acessibilidade de pessoas com deficiência e restrição de mobilidade aos destinos turísticos regionais, bem como suprir a necessidade de transporte público que atenda ao turista no deslocamento desde sua chegada até as visitas aos atrativos turísticos.