Atos são ameaça real à democracia e situação é grave, diz cientista política

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

A invasão às sedes dos três poderes em Brasília repercutiu em todo mundo. Os prédios do Planalto, Congresso e STF foram invadidos e depredados no último domingo (8). Os golpistas quebraram vidraças e móveis, vandalizaram obras de arte, invadiram gabinetes de autoridades, rasgaram documentos e roubaram armas.

Ao Eufêmea, a cientista política Luciana Santana disse que os atos antidemocráticos são criminosos e devem vistos como uma ameaça real à democracia brasileira. Para ela, é necessário que se tenha uma posição dura de todas as instituições do país.

“Foi uma situação grave. Continua grave porque não sabemos a dimensão ou outras possibilidades de ataques que podem acontecer. É preciso que haja uma posição dura de todas as instituições políticas do país para coibir essa situação”, comenta.

Após os ataques, movimentos políticos, sociais e civis se uniram e fizeram atos nesta segunda-feira (9). No entanto, na avaliação da cientista política é que, nesse momento, talvez fosse melhor não ter um ato desse porte.

“Sou favorável às manifestações, mas acredito que o ideal seria esperar um pouco para ter o resultado das operações que estão acontecendo em Brasília, observar se não vai haver outro ato criminoso e claro, posteriormente a esquerda realizar um grande ato reunindo as forças democráticas do Brasil”, explicou.

A cientista política enfatiza que os atos fortaleceram o atual governo, que recebeu apoio de vários presidentes e governos de todo o mundo. “A resposta que tivemos do Executivo, Judiciário e Legislativo fortalece o atual governo porque mostra os mecanismos de forças dos estados brasileiros caso alguém busque atentar novamente contra a democracia”.