Colabore com o Eufemea

Advogada, cristã e secretária de desenvolvimento: Caroline Balbino destaca economia e geração de renda para AL

Alagoas é o único estado em que há paridade de gênero nas secretarias. Das 27, 14 são comandadas por mulheres. O Eufêmea iniciou uma série de entrevistas com as secretárias que comandam tais pastas.

A quinta entrevistada é a secretária Caroline Balbino, secretária do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços de Alagoas (SEDICS). Advogada, Caroline diz que tem como objetivo promover o desenvolvimento econômico por meio de políticas públicas sustentáveis, voltadas para os setores de energia, mineração, indústria, comércio, serviços e turismo.

Confira a entrevista abaixo:

Quem é Caroline Balbino?

Caroline é uma mulher, cristã, filha, mãe, esposa, advogada, que luta pelo bem comum e por uma sociedade mais justa e equânime para as mulheres. Uma mulher que tem sonhos, que tem garra e que luta, todos os dias, para que exista uma igualdade no meio em que atua. Caroline é uma mulher que, ao conquistar novos espaços, faz questão de abrir a porta para que mais mulheres possam passar e conquistar novos espaços também.

O que a paridade nas secretarias representa para as mulheres alagoanas?

Acredito que a paridade entre homens e mulheres no secretariado alagoano representa um grande avanço para as mulheres alagoanas, dando exemplo ao país. Nós, mulheres, podemos e devemos ocupar espaços de poder, de tomada de decisões, de projetos em todas as áreas de atuação, então eu acho que há uma representação muito grande, um sentimento de pertencimento, de justiça mesmo – para que as mulheres alagoanas possam enxergar que são capazes, que também podem chegar lá.

Para você, qual a importância de ocupar um espaço majoritariamente masculino?

A participação das mulheres é fundamental em qualquer segmento – e na área do Desenvolvimento Econômico não seria diferente. Precisamos reiterar a importância de ter uma sociedade igualitária e que reforce os locais de fala de todas as pessoas. Seguimos, nós mulheres, com trabalho duro, competência e dedicação, para alçar voos cada vez mais longos – seja na área do Desenvolvimento Econômico, Educação, Segurança, Saúde – mostrando sempre que nós estamos aptas e somos capazes de fazer a diferença em qualquer área de atuação.

Quais os projetos pretende desenvolver este ano?

Importante entender que o nosso papel, enquanto secretaria de Estado, é levar o desenvolvimento a todos os 102 municípios de Alagoas. Então, posso dizer que as ações que a SEDICS realizará este ano vão fomentar políticas públicas voltadas para a indústria, comércio, serviços, artesanato, cooperativismo, energia e mineração, serão voltadas para o desenvolvimento de todo o território alagoano. Há, em especial, uma política de interiorização do desenvolvimento que já está sendo posta em prática, com a chegada de indústrias em municípios do interior, a exemplo da Mercosul, em Coruripe, e do CD na Natura&Co, em Murici. Além disso, há ainda a política de fomento às Cooperativas do nosso Estado, que estão espalhadas pelos 102 municípios e que, com certeza, ganharão protagonismo nessa nova gestão. Os desafios são muitos, em todos os setores em que a pasta atua, mas o objetivo principal é levar desenvolvimento a todos os municípios alagoanos, gerando renda para a população do estado.

Como você enxerga a mudança de presidente? Acredita que Lula olhará mais para mulheres e trará mais projetos?

As perspectivas são positivas. O Governo de Alagoas é um aliado do Governo Federal, e sabemos que o trabalho será intenso e gratificante. Nós estamos vindo de uma gestão que desenvolveu o setor econômico do nosso estado de forma jamais vista – somente em 2022 foram investidos quase R$ 1 bilhão por 18 empresas que receberam incentivos fiscais e locacionais do Estado de Alagoas, através do Prodesin, com a geração de mais de 12 mil empregos diretos e indiretos. Tenho certeza de que, como um aliado do Governo Federal, Alagoas vai se desenvolver ainda mais, gerando emprego, renda e desenvolvimento para a nossa população.

Quando recebeu o convite para ser secretária, aceitou de primeira ou teve medo de assumir o cargo? Por que decidiu aceitar?

Recebi o convite para assumir a posição no dia do meu aniversário no ano passado, quando estava com uma viagem marcada com a minha família, mas aceitei de primeira. A frase decisiva, que me fez aceitar de primeira, foi quando o Governador Paulo Dantas me disse que seria um secretariado majoritariamente feminino. Como mulher, é uma honra assumir uma pasta tão importante. Lidar com os desafios do dia a dia é um pouco difícil às vezes, mas me sinto feliz e realizada por estar fazendo parte de uma gestão cheia de potencial e por estar transformando a vida de diversos alagoanos. Estar à frente de uma pasta tão importante como a Sedetur, agora Sedics, é motivo de grande orgulho.

Rebecca Moura

Rebecca Moura

Estudante de jornalismo pela Universidade Federal de Alagoas. Colaboradora do portal Eufêmea.