Colabore com o Eufemea

Peeling de fenol é perigoso? Dermatologista explica benefícios, riscos e alerta sobre falta de fiscalização

Foto: Arquivo pessoal

O peeling de fenol, conhecido por tratar eficazmente manchas solares e hiperpigmentação, também estimula a produção de colágeno, melhorando a firmeza e elasticidade da pele. No entanto, os benefícios dessa técnica são acompanhados por sérios riscos, especialmente se realizada sem os devidos cuidados.

Um trágico exemplo foi o caso de um jovem de 27 anos que morreu em São Paulo no início deste mês, após complicações geradas por um peeling de fenol. Ele realizou o procedimento em uma clínica estética cuja proprietária não possuía especialização ou autorização para realizar esse tipo de peeling.

O Eufêmea conversou sobre o uso do fenol com a dermatologista Mirella Oliveira, especialista em dermatologia clínica, cirúrgica e estética.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a importação, fabricação, manipulação, comercialização, propaganda e o uso de produtos à base de fenol em procedimentos de saúde em geral ou estéticos. A resolução foi publicada no Diário Oficial da União.

“Lamentável a decisão da Anvisa de proibir o uso de fenol de forma irrestrita. Há diversas evidências de eficácia e segurança do fenol, quando indicado corretamente e realizado por profissional médico capacitado, em ambiente hospitalar, com os cuidados imprescindíveis, como monitoramento cardíaco, hepático, renal, conhecimento da técnica, controle do pós e da possibilidade de infecção cutânea”, disse.

Segundo ela, o que os médicos dermatologistas e cirurgiões plásticos solicitam é a regulamentação e fiscalização do uso indevido da substância, especialmente por profissionais não médicos.

“A regulamentação é extremamente necessária para que tal substância seja utilizada apenas por profissionais médicos capacitados para que a saúde dos pacientes não seja colocada em risco. No entanto, a proibição certamente trará inúmeros prejuízos para os tratamentos dermatológicos onde o fenol apresenta resultados superiores”, enfatiza.

Benefícios do uso adequado de Fenol

Mirella explica que quando indicado e executado com bastante critério, os resultados obtidos são incomparáveis a outros métodos esfoliativos. “Proporcionando um grande estímulo na produção de colágeno e reduzindo significativamente rugas, manchas e cicatrizes”, comenta.

A dermatologista reforça que o fenol também é utilizado, de maneira pontuada, na prática dermatológica diária para tratamentos de verrugas, lesões pré-malignas, cicatrizes de acne, cirurgias para correção e tratamento de unhas encravadas, com resultados bastante satisfatórios e rápida recuperação.

Riscos do uso irregular

O uso irregular, sem critérios médicos, representa um grande risco à saúde da população. Para a dermatologista, as pessoas estão tendo acesso ao fenol, inclusive para uso domiciliar, por falta de fiscalização.

“A banalização do uso do fenol e também de outros procedimentos estéticos está chegando a níveis alarmantes, onde inclusive se pode comprar essa substância pelos e-commerces”, destacou.

Para ter um tratamento adequado e seguro, Mirella orienta que a pessoa tenha uma consulta com o médico dermatologista. “Crianças, gestantes e lactantes são grupos nos quais diversas substâncias cosméticas são contraindicadas. A prescrição de dermocosméticos nesses grupos deve ser bastante individualizada”, diz.

Rebecca Moura

Rebecca Moura

Estudante de Jornalismo pela Universidade Federal de Alagoas e colaboradora no portal Eufêmea, conquistou o primeiro lugar no Prêmio Sinturb de Jornalismo em 2021. Em 2024, obteve duas premiações importantes: primeiro lugar na categoria estudante no 2º Prêmio MPAL de Jornalismo e segundo lugar no III Prêmio de Jornalismo Científico José Marques Melo.