Projeto “Vestindo minha família” visa gerar renda e resgatar autoestima de mulheres do Vale do Reginaldo

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

O projeto “Vestindo minha família” é uma iniciativa do Comovimento (Comitê de Desenvolvimento de Comunidades), que foi criado pela Sicredi Expansão com o objetivo de estimular parcerias cooperativas e inclusivas da causa social, como também viabilizar o fortalecimento das instituições filantrópicas.  

O objetivo é promover autonomia financeira, dignidade e expansão das comunidades locais, gerando renda e empregabilidade para essas mulheres em seu meio social, A Sicredi Expansão tem contado com a parceria intercooperativa da Sicredi União PR/SP, que implantou o projeto em 2018, na cidade paranaense de Paranavaí.  

 A primeira fase do projeto ocorreu com a abertura de um edital na comunidade Sementes do Vale, localizada no Vale do Reginaldo, para contemplar a seleção de 12 mulheres que exercessem o ofício de costureira, tivessem aptidão ou interesse pela profissão. 

As aulas estão sendo ofertadas pelo Senac Poço e tiveram início no dia 08 de fevereiro. Elas ocorrem das 14h às 18h, de segunda a sexta. Semanalmente, as mulheres, com idades entre 15 e 62 anos, também participam de um ciclo de palestras ministradas por colaboradores  da Sicredi, parceiros cooperativos  voluntários e profissionais da área de saúde. Os temas de palestras vão do cooperativismo, planejamento financeiro, marketing pessoal e de produto até empoderamento feminino e saúde da mulher. 

Primeira fase do projeto contemplou 12 mulheres que exercem o ofício de costureira

Apostando na seriedade e na relevância do projeto Vestindo Minha Família, várias empresas e instituições estão apoiando a iniciativa: Unimed Maceió, Almagis, Tribunal de Justiça de Alagoas, Sebrae, Senac, Indústria Strike, Ciclar Reciclagem, Th Hospital de Olhos Penedo, Century Comércio, Ferreira e Saraiva Ltda., Hospital Arthur Ramos, Vasus – Centro Vascular Integrado, Transamérica Turismo, Instituto da Visão e Magazine São Paulo. O projeto também conta com o apoio voluntário da assistente social Laís Lessa e da psicóloga Mayra Freitas.