Blandelie: irmãs transformam talento em negócio artístico e vendem desenhos personalizados em Maceió

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Melissa Nunes, 14 anos e Beatriz Nunes, de 21, são irmãs, moram em Maceió e uniram os seus talentos especiais para darem início a uma loja virtual para vender as artes personalizadas produzidas por Melissa: a Blandelie.

Melissa desenha desde criança, tendo preferência por retratos de pessoas. Beatriz é detalhista e ama as redes sociais. Juntas, elas pesquisaram e chegaram ao nome da loja virtual. E mais que isso: uma complementa a outra.

“Colocamos no dicionário de sinônimos palavras relacionadas a amor e coisas boas, uma das que apareceu foi ‘blandícia’ que significa ‘ato ou gesto de amor e ternura’ e é exatamente isso que nossos desenhos significam. Fizemos uma variação da palavra para encaixar melhor no nome da loja e se tornou Blandelie”, define Melissa Nunes.

A artista conta que já teve muitas ideias para empreender, mas nunca saíram do papel porque ela não tinha foco para administrar.

“No ano passado, juntei dinheiro e consegui comprar o iPad, que é uma ferramenta de desenhos que eu sempre quis ter. A partir dele, comecei a desenhar famosos, modelos, pessoas do Pinterest, mas era só por diversão. Com a chegada do Dia dos Namorados de 2021, uma amiga pediu para que eu fizesse um desenho para ela. Fiz e gostei muito do resultado. Conversando com minha irmã, percebemos que poderia dar certo se nos ajudássemos. Passamos vários dias nos organizando, comprando material, tudo com o investimento de nossos pais, criamos a conta no Instagram, o logo, o nome da loja, fiz alguns desenhos-base de amigas minhas e da minha irmã com o namorado para postar nas redes sociais e ter um portfólio. Deu super certo e começamos a ter as encomendas”, destaca.

Beatriz, a administradora da Blandelie, conta da junção com a irmã para empreenderem. “Por mais que ela sempre tenha desenhado e ame isso, nunca teve muito foco para abrir um negócio. Ela só gosta da parte artística. Administrar, organizar os pedidos, a parte financeira, do Instagram, ela nunca se interessou. Por isso, tivemos a ideia de nos juntarmos em uma sociedade que completava uma a outra. Agora, ela faz os desenhos, coisa que ela ama, e eu administro, cuido das redes sociais, da parte financeira e das encomendas”, assinala.

As empreendedoras são filhas da arquiteta Cris Nunes e do advogado Felipe Lins. A mãe conta mais sobre o processo de empreenderem e como tudo começou.

“Melissa não daria conta de fazer arte, conversar com os clientes, combinar os detalhes, postar nas redes sociais, fazer conta em banco, entre outras coisas. A ideia delas era fazer arte e ganhar dinheiro com isso para que não tenham que ficar pedindo aos pais. Quando Mel e Bia começaram a empresa, fizemos uma reunião de família, pegamos um caderninho, anotamos tudo: dia que a empresa foi fundada, os cargos, as porcentagens financeiras para cada uma. Meu marido e eu fizemos um aporte financeiro para ajudar, um empréstimo que elas vão devolver quando o caixa movimentar.”


Cris Nunes e Felipe Lins são só orgulho da união e desenvolvimento das filhas. “Nós, pais, adoramos ver o empenho delas. Mel muito dedicada, buscando fazer a arte o mais próximo possível das imagens que receberam dos clientes e a Bia super atenta em responder prontamente, passar as informações, perguntar se o cliente está satisfeito, fazer as operações financeiras, fazer a composição dos porta-retratos. Estou muito orgulhosa em vê-las com tanto capricho e dedicação, desde a embalagem até o processo de entrega ao cliente”, destaca a arquiteta.

Mais informações é só entrar em contato pelo instagram @blandelie.

*com informações da Assessoria