Higiene bucal infantil: quando levar as crianças ao dentista? Odontopediatra explica

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Quando levar as crianças ao dentista ou até mesmo quando e como higienizar a boca das crianças pode ser uma dúvida recorrente entre as mães e pais. Mas quando é a hora de levá-las ao dentista? O bebê também deve ser levado?

Ao Eufemea, a odontopediatra Clarissiane Cardoso explicou que as crianças devem ser levadas ao dentista, em especial ao odontopediatra, pelo menos duas vezes ao ano, para as consultas preventivas de rotina. Mas esse tempo de retorno pode variar diante da necessidade de cada paciente, depende do risco e atividade de cárie.

“Não se deve procurar o atendimento odontológico só quando tem a presença de dor e desconforto, mas deve-se priorizar a prevenção e o cuidado com a saúde bucal dos pequenos para evitar tratamentos invasivos, que poderiam ser evitados”, enfatiza.

Clarissiane conta que não existe idade ideal para levar os pequenos ao dentista. O mais recomendado é antes mesmo do nascimento dos dentinhos. “Até mesmo quando o bebe ainda está na barriga da mãe, que é quando ela deve procurar o atendimento para a realização do pré-natal odontológico”.

Busca deve acontecer ainda no pré-natal

Foto: Cortesia

A profissional explicou que no exame pré-natal odontológico inicialmente é realizado toda anamnese – que é uma espécie de “entrevista” feita pelo profissional, onde o paciente é submetido a uma série de perguntas que ajudarão ao profissional a fazer o diagnóstico – para conhecer todo o histórico de saúde da paciente, suas queixas e necessidades. 

São passadas informações importantes sobre a amamentação, exterogestação, freios orais do bebê, quando e como higienizar a boca do bebê, etc.

Em seguida é feito um exame clínico com uma profilaxia – limpeza –  para avaliar a condição de saúde bucal da paciente e realizar o plano de tratamento devido.

“A saúde bucal no dia a dia da gestante é muito importante para evitar quadros de gengivite  – inflamação da gengiva devido ao aumento dos hormônios nesse período –  problemas periodontais e até mesmo risco de parto prematuro. Uma assistência odontológica durante a gestação é muito importante”, comentou a odontopediatra.

A especialista disse que antes dos dentinhos nascerem não precisa higienizar a boca do bebê, já que a mucosa, a saliva e o leite materno fazem a manutenção da saúde oral do bebê.

Já a escovação deve ser feita assim que o primeiro dentinho surgir na cavidade bucal, deve-se utilizar uma escova de dentes de cerdas retas e extra-macias, de cabeça e extremidades arredondadas para não machucar a boca do bebê e que apresente uma boa empunhadura.

“Além disso, utilizar sempre, creme dental fluoretado, com no mínimo 1000 ppm de flúor e escovar duas vezes ao dia. Quando dois dentes estiverem juntinhos, iniciar com o uso do fio dental e escovar também a língua, é importante”, reforça.

Muitas crianças podem ficar nervosas, estranhar, ou até mesmo sentirem medo nos primeiros atendimentos. Clarissiane afirmou que a melhor solução é todos manterem a calma e principalmente os pais, eles devem passar calma e tranquilidade aos seus filhos, antes mesmo da consulta.

Já no caso do odontopediatra, ele vai à consulta diante do posicionamento dos pais frente aquele momento.

“É normal a criança ter medo no primeiro encontro e estranhar. Porém, todo o condicionamento é feito, com o reforço positivo e ela vai perdendo o medo e tudo vai fluindo. Mas para isso, os pais precisam estar cientes que é um processo e que faz parte. Principalmente, se for bebê, entender que o choro é a forma de comunicação deles e que é normal eles chorarem. Nós, como adultos e pais, devemos ter a maturidade de entender aquele choro, ou seja, sermos empáticos. Eu prezo pela empatia do bebê e da criança, sempre. Ir no tempo deles e entrar no mundo da criança é muito importante”, conclui a especialista.