Festas do São João de Maceió garantem renda para ambulantes: “vendas superaram todas expectativas”

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Valderice Aquino. Foto: Gabriel Moreira/Secom Maceió

O período de dois anos sem grandes eventos, por causa da pandemia da Covid-19 trouxe prejuízos aos ambulantes de Maceió que não podiam vender as suas mercadorias e trazer renda para dentro de casa. Mas os comerciantes informais puderam retomar os trabalhos com as fetas do maior São João do Litoral do Brasil – o “Massayó: Sol… Mar… Forró” – promovido pela Prefeitura de Maceió, que teve início, no bairro Benedito Bentes, parte alta da capital.

Durante os cinco dias de atrações musicais locais e nacionais, 55 ambulantes credenciados pela Secretaria Municipal de Segurança Comunitária e Convívio Social (Semscs), participaram da festa pública e tiveram as expectativas superadas com a quantidade de produtos vendidos durante o evento.

Valderice Aquino, de 32 anos, é dona de casa e trabalha como ambulante em períodos festivos junto com seu esposo. O casal conseguiu vender 100% das mercadorias. “Eu e meu esposo trabalhamos esses dias no São João do ‘Biu’ vendendo bebidas. E não temos do que reclamar, conseguimos vender 100% do nosso material”, conta.

“As vendas superaram todas as nossas expectativas, e uma renda extra é sempre bem-vinda, principalmente depois da pandemia que tudo ficou ainda mais difícil. Voltamos para casa com sensação de dever cumprido, muito felizes também. Gostaríamos de parabenizar a toda organização do evento, a segurança estava toda lá para nos dar um suporte e isso fez toda diferença na hora da venda dos produtos”, disse a ambulante.

Ambulantes conseguiram superar as expectativas e também contaram com apoio da Prefeitura de Maceió na fiscalização dos produtos. Foto: Célio Júnior / Secom Maceió
Ambulantes conseguiram superar as expectativas e também contaram com apoio da Prefeitura de Maceió na fiscalização dos produtos. Foto: Célio Júnior / Secom Maceió

Durante os dias de festa, a fiscalização foi reforçada com mais de 100 guardas municipais, e 100 agentes de fiscalização, tudo isso para garantir a segurança dos ambulantes, visitantes e turistas. Além disso, os comerciantes tiveram a isenção de pagamento da taxa de autorização.

Rosangela Calheiros, 53 anos, trabalha como autônoma em casa, vendendo sorvete e salgados. Ela viu a oportunidade de trabalhar como ambulante, para poder fazer um dinheiro extra, vendendo salgados, refrigerante e água. “Essa foi a minha primeira experiência, e eu amei muito”.

“No primeiro dia, a chuva atrapalhou um pouco as vendas, mas nos outros dias de festa foi um sucesso. Eu resolvi trabalhar aqui no Biu para poder fazer uma renda extra e deu muito certo, e não sobrou nenhuma mercadoria. A Prefeitura de Maceió está valorizando muito o povo de Maceió em todos os sentidos. Só o fato de não precisar pagar a taxa de autorização, já mostra o quanto o prefeito JHC se importa com quem realmente precisa”, disse a comerciante.

Comerciantes informais foram isentos de pagar a taxa e conseguiram renda extra. Foto: Célio Júnior / Secom Maceió
Comerciantes informais foram isentos de pagar a taxa e conseguiram renda extra. Foto: Célio Júnior / Secom Maceió

Para quem está desempregado também foi uma oportunidade para garantir o dinheiro das contas no fim mês, assim como fez a Dona Rita Obely, 44 anos, que está desempregada, e aproveitou a ocasião para vender de churrasquinho no na estrutura montada na Praça Padre Cícero, no Benedito Bentes.

“É a primeira vez que trabalho como ambulante, porque estou desempregada e vi a oportunidade de ganhar um trocado, já que a situação não está fácil para ninguém. Eu me arrisquei, graças a Deus deu tudo certo. Trabalhei com churrasquinho e todos os dias levei 500 reais em mercadoria, vendi tudo. Nos últimos dois dias, os espetinhos acabaram rapidinho”, explicou Rita.

*com Ascom Semscs