Contra violência e feminicídios: Mulheres protestam nesta sexta em Arapiraca e Maceió

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Mulheres alagoanas estarão reunidas nesta sexta-feira (29), em Arapiraca e em Maceió, a partir das 15h, para protestarem contra a violência e os casos de feminicídios em Alagoas. Até julho deste ano, Alagoas registrou 18 casos de feminicídios.

Além das mortes, os boletins policiais trazem diariamente casos de violência contra as mulheres. Conforme o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, nos últimos dois anos, 2.695 mulheres foram mortas pela condição de serem mulheres.

O caso mais recente de feminicídio no estado foi na última quinta-feira (21), em Maceió. Maria Aparecida Bezerra, de 54 anos, foi morta com golpes de faca pelo esposo Alisson Bezerra, de 44 anos, no bairro do Antares.

Nos atos marcados para hoje, o que acontecerá em Maceió deve reunir cerca de 50 entidades. O protesto está marcado para às 15h, na Praça Deodoro, Centro de Maceió, em frente ao Tribunal de Justiça. Em Arapiraca, o ato será na praça da antiga Prefeitura.

A advogada e coordenadora do Centro de Defesa dos Direitos da Mulheres (CDDM), Paula Simony, destacou que “não podemos achar a violência contra a mulher uma coisa normal”.

“Precisamos combater o machismo e dialogar com a sociedade alagoana que a violência de gênero é algo que não pode mais ser tolerado”, reforça a representante.

Segundo Paula, o CDDM é uma entidade que desde 2018 luta pelo fim da violência e pelo acesso das mulheres aos seus direitos, em Alagoas. “Tendo em vista os últimos casos de violências e feminicídios que vem acontecendo no estado, causou preocupação em assistir a tudo isso sem reagir. Então resolvemos convocar uma reunião e iniciar a organização do Ato Público”, relata a dirigente da entidade.

As quase 50 entidades que atenderam a convocação são de vários tipos, desde grupos religiosos, movimentos feministas, institutos, comissões jurídicas, entre outros.