Saúde de Maceió leva atendimento para atingidos pelas fortes chuvas: “emocional muito abalado”

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Serviços como atendimentos médicos, distribuição de medicamentos, testagem para a Covid-19 e atividades recreativas para as crianças abrigadas são oferecidos para as vítimas das chuvas em Maceió, com as equipes do Consultório na Rua.

De acordo com as informações da Prefeitura de Maceió, um desses locais onde estão sendo oferecidos os serviços é o Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Vice-Governador Francisco Melo, no Vergel do Lago. Esse abrigo faz parte de um complexo de três abrigos que são assistidos pela coordenação e profissionais de saúde do II Distrito Sanitário, que abrange os bairros da Ponta Grossa, Prado, Dique Estrada, Vergel do Lago, Pontal da Barra, entre outros.

Segundo a coordenadora do II Distrito Sanitário, Kristiane Duarte, estão sendo assistidas em média 500 pessoas nesses três locais. “Estamos lidando com pessoas adoecidas, que perderam suas casas, então não é fácil, pois todos estão com o emocional muito abalado, não são só as dores físicas. Por isso, nossa equipe está dando todo o suporte a essas famílias com distribuição de medicamentos na farmácia da Unidade de Saúde da Família (USF) CAIC Virgem dos Pobres, consultas médicas, distribuição de soro para os casos de diarreia, auxílio psicológico testagem de Covid-19, entre outros”, destaca.

Kristiane Duarte, coordenadora do II Distrito Sanitário. Foto: Victor Vercant/SMS
Kristiane Duarte, coordenadora do II Distrito Sanitário. Foto: Victor Vercant/SMS

O Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) também têm atuado nos abrigos da capital. Nesses locais, o órgão tem como objetivo investigar as condições de saúde dos trabalhadores que estão prestando assistência à população, por meio do ‘Formulário de Visita em Situação de Desastre’, que contém uma avaliação sobre o ambiente de trabalho e orientação para prevenção de riscos.

Karoline Félix, psicóloga do Cerest, participa das visitas aos abrigos e fala sobre a atuação do órgão junto a esses profissionais. “Estamos percorrendo esses locais para observar como os profissionais, tanto da saúde quanto da assistência social da Prefeitura estão trabalhando para ajudar as vítimas das enchentes. Sabemos do empenho de todos nessa ajuda, mas devemos também estar atentos às condições de saúde dos trabalhadores e voluntários que muitas vezes se doam dia e noite nesse auxílio”.

“Então nosso trabalho tem sido o de ver como podemos ajudar, qual suporte eles precisam, inclusive no pós-evento, pois essa é uma situação temporária, mas enquanto situação traumática não sabemos as consequências que isso pode gerar”, completa Karoline Félix, psicológica do Cerest.

Karoline Félix, psicóloga do Cerest. Foto: Victor Vercant/SMS
Karoline Félix, psicóloga do Cerest. Foto: Victor Vercant/SMS

Profissionais do Consultório na Rua também estiveram presentes no abrigo do CMEI e fizeram uma tarde recreativa com as crianças e jovens abrigados no local, com desenhos, pintura e oficina de batuque. “A ação teve o objetivo de levar momentos de lazer para essas pessoas que se encontram em uma situação tão difícil, para que elas se distraiam um pouco”, afirma Dalmo Almeida, agente de Ação Social do Consultório na Rua.