Seminário sobre hepatites virais em alusão à campanha Julho Amarelo acontece em Maceió: “alerta aos profissionais”

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Fotos: Victor Vercant/Ascom SMS

Em alusão à campanha Julho Amarelo – mês de luta contra as hepatites virais – a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), por meio da Gerência de Prevenção e Controle de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs),  realizou, na manhã desta quinta-feira (14), o Seminário de Hepatites Virais 2022, cujo tema abordado foi “Hepatites Virais B e C: quando pensar e como investigar?”. A ação aconteceu no auditório do Bloco C do Centro Universitário Tiradentes (Unit), em Cruz das Almas.

Profissionais da Atenção Primária à Saúde de Maceió e de outros municípios (médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e agentes comunitários de saúde), além de estudantes e residentes da área da saúde estiveram no seminário, no qual foi apresentado o cenário epidemiológico, suscetibilidade, transmissão, manifestações clínicas, diagnóstico (teste rápido e sorologia) e tratamento contra as hepatites virais.  

“As hepatites virais ainda são um problema de saúde pública, e no Brasil existe uma alta prevalência de hepatites que não foram ainda diagnosticadas. Por isso, esse seminário é muito importante para que façamos um alerta aos profissionais de saúde, além de atualizá-los quanto aos novos protocolos relacionados ao tratamento das hepatites B e C”, destaca a gerente de Prevenção e Controle de ISTs, Géssyca Melo.

Gerente de Prevenção e Controle de ISTs, Géssyca Melo. Foto: Victor Vercant/Ascom SMS
Gerente de Prevenção e Controle de ISTs, Géssyca Melo. Foto: Victor Vercant/Ascom SMS

A coordenadora da Atenção Primária da SMS, Ednalva Araújo,  comentou que o seminário é um espaço para atualizações e conhecimento entre os profissionais da saúde.

“Falar sobre o Julho Amarelo é muito importante, não só neste mês que representa o mês de luta contra as hepatites virais, mas sim durante o ano todo. Este seminário é um momento de atualizar, esclarecer dúvidas e ver a situação epidemiológica referente a essa doença no município e no estado. Nossas unidades básicas de saúde possuem profissionais capacitados para testagem de hepatites virais, sífilis e HIV/Aids, mas estamos aqui para reforçar esse conhecimento”, afirma.

Coordenadora da Atenção Primária da SMS, Ednalva Araújo. Foto: Victor Vercant/Ascom SMS
Coordenadora da Atenção Primária da SMS, Ednalva Araújo. Foto: Victor Vercant/Ascom SMS

A mesa da solenidade foi composta por Géssyca Melo, gerente de Prevenção e Controle de ISTs; Ednalva Araújo, coordenadora da Atenção Primária da SMS; Rosicleide Barbosa, gerente de Vigilância das Doenças e Agravos Transmissíveis e Não Transmissíveis; Silvana Santos, representante do Programa Estadual de IST/Aids/HIV/hepatites da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau); Leila Tojal, presidente da Sociedade Alagoana de Gastroenterologia (SAG); e Bel Jânio Bahia, consultor de Hepatites Virais.  

Sobre a doença

As Hepatites Virais são doenças causadas por vírus que atacam o fígado. As hepatites nem sempre apresentam sintomas e podem evoluir para cirrose ou câncer. Existem vários tipos de hepatites, e as mais comuns no Brasil são classificadas pelas letras A, B, C, D e E. 

Transmissão

A transmissão acontece em relações sexuais sem camisinha; de mãe infectada para a criança; compartilhando seringas, agulhas, material de higiene pessoal (lâminas de barbear e depilar, escova de dente) e material de manicure e pedicure não descartável ou não esterelizado; contato com sangue infectado; realização de tatuagem ou colocação de piercing sem uso de material descartável e normas de biossegurança. 

Diagnóstico e tratamento

As Unidades de Saúde de Maceió dispõe de teste rápido para hepatites virais gratuito durante todo o ano. Em caso de teste reagente, o usuário recebe o tratamento disponível pelo SUS, realizado em um serviço de referência. Na capital, o tratamento é realizado no Bloco I do PAM Salgadinho e nos ambulatórios do Hospital Escola Dr. Helvio Auto e do Hospital Universitário.

*com Ascom SMS