Conselho Federal da OAB lança Campanha de Combate à Violência contra a Mulher em Alagoas

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Alagoas será a primeira seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) a aderir à Campanha Nacional de Combate à Violência contra a Mulher. O lançamento no estado acontece na segunda-feira (22), na Sala da Advocacia Maria Aparecida da Silva Bezerra, no Benedito Bentes, em Maceió, com a presença da diretoria da OAB em Alagoas (OAB/AL), além do presidente do Conselho Federal, Alberto Simonetti, e de grandes nomes da advocacia do país.

A ideia da campanha é dar luz a temas importantes a cada mês, por meio de palestras, cursos e outros eventos. Conforme a presidente da Comissão Nacional da Mulher Advogada, Cristiane Damasceno, neste primeiro mês de campanha, o assunto abordado será a violência política. Em setembro, o tema discutido será violência obstétrica. Já nos meses seguintes, será a vez de abordar a violência doméstica e a violência processual no Brasil.

Cristiane Damasceno explica que todos os eventos propostos para discutir e abordar esses temas – como ciclo de palestras e cursos – serão híbridos, realizados de forma presencial em Brasília e acessados de forma virtual nas seccionais do país. A campanha foi lançada em âmbito nacional no início deste mês, tendo como foco o combate a todas as formas de violência contra a mulher.

Assim como aconteceu durante o lançamento da campanha em Brasília, em Alagoas também será feita uma homenagem aos 16 anos da Lei 11.340, a Lei Maria da Penha, que foi um marco no combate à violência doméstica no país.

A adesão da seccional Alagoas à campanha acontece por volta de 12h30, logo após a inauguração da Sala da Advocacia no Benedito Bentes, que vai ganhar o nome da advogada Maria Aparecida da Silva Bezerra, vítima de feminicídio no mês de julho.

A campanha surge em um momento em que é preciso refletir a respeito da violência contra a mulher em Alagoas. Somente este ano, a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) registrou 21 casos de feminicídio, sendo seis deles no último mês de julho. Também são constantes os casos de violência doméstica registrados pela polícia. 

*Com OAB