Psicóloga participa de roda de conversa sobre a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

A Secretaria de Saúde de Maceió, por meio da Diretoria de Atenção à Pessoa com Deficiência (DAPD), em parceria com a Associação dos Amigos e Pais de Pessoas Especiais (AAPPE), promoveram na tarde dessa quarta-feira (24), uma roda de conversa para familiares e usuários atendidos pelo serviço. O encontro ocorreu na sede da AAPPE, na Jatiúca, e teve o objetivo de discutir a importância da Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla, que ocorre em todo país de 21 a 28 de agosto.

A psicóloga do CER AAPPE, Sandra Ferrari, abriu a roda de conversa falando que é preciso ressignificar as dificuldades e aprender com as situações. “É necessário a existência da aceitação e do respeito. Precisamos constantemente trabalhar a saúde emocional dos usuários que são atendidos pelo serviço e discutir sobre acessibilidade, acolhimento, empatia e quebra de preconceitos para que eles se fortaleçam cada vez mais”, destaca.

Já a técnica do DAPD do Município, Rosário Vasconcellos, fala que o ato de amar e acolher é transformador. “A inclusão transforma vidas e devemos ter um olhar de que todas as pessoas são capazes, é só questão de oportunidade e acessibilidade para que haja a sensação de pertencimento e visibilidade dessas pessoas em toda a sociedade”, afirmou.

Rosário Vasconcellos, técnica do DAPD. Foto: Rodrigo Carlos/SMS
Rosário Vasconcellos, técnica do DAPD. Foto: Rodrigo Carlos/SMS

“Não devemos nos limitar a um diagnóstico, mas sim buscar formas de acolher e trabalhar as limitações. Somos capazes de fazer tudo e é preciso que não existam olhares de julgamento e sim de respeito e igualdade. E é esse tipo de discussão que sempre buscamos levar a todos os usuários e familiares que são atendidos por nossos serviços e em todas as nossas atividades”, completa Tereza Rocha, gerente do DAPD. 

Tereza Rocha, gerente do DAPD da SMS. Foto: Rodrigo Carlos/SMS
Tereza Rocha, gerente do DAPD da SMS. Foto: Rodrigo Carlos/SMS

Participação dos usuários

Cícera Maria é mãe de Anderson Matheus, de 20 anos de idade, que tem Transtorno do Espectro Autista (TEA) e usuário dos serviços do Centro Especializado em Reabilitação (CER) e falou sobre a importância desses encontros e discussões.“ É muito bom para as crianças e para nós pais termos esse apoio, além das trocas de experiências, e atividades, dá uma sensação de não estarmos sozinhos. O acolhimento e os atendimentos clínicos nos fazem ter a ideia que estamos de fato sendo vistos”, enfatiza. 

Cícera Maria e Anderson Matheus, usuário atendido pelo serviço. Foto: Rodrigo Carlos/SMS
Cícera Maria e Anderson Matheus, usuário atendido pelo serviço. Foto: Rodrigo Carlos/SMS

“Todos os dias temos atendimentos clínicos para os usuários, além de atividades artísticas que são importantes para o seu desenvolvimento, como pinturas artísticas. Nesta semana, com o apoio da Secretaria de Saúde de Maceió intensificamos a roda de conversas para desmistificar tabus e acolhermos a todo o nosso público, que são crianças, jovens, adultos com todos os níveis de deficiência, seja física, intelectual, auditiva e visual”, informa Ana Paula, diretora responsável pelo CER da AAPPE. 

Ana Paula, diretora responsável pelo CER da AAPPE. Foto: Rodrigo Carlos/SMS
Ana Paula, diretora responsável pelo CER da AAPPE. Foto: Rodrigo Carlos/SMS

Sobre a Diretoria de Atenção à Pessoa com Deficiência

O DAPD da SMS tem como prioridade acolher e encaminhar as pessoas com deficiência para Centros de Especialidade em Reabilitação (CER). A diretoria avalia o nível de necessidade especial da população, faz encaminhamentos, acompanha e monitora a evolução e os atendimentos tanto para o usuário, quanto para à família, dando o suporte necessário em busca de alternativas visando a qualidade de vida, acessibilidade, saúde pública e tratamento continuado.

Segundo Rosário Vasconcellos, técnica da diretoria,  desde  2016 com a epidemia do zika vírus há uma intensificação nos encaminhamentos, tratamentos e acompanhamentos de usuários com Síndromes Congênitas e casos de Microcefalia. “A gestante que é infectada pelo vírus pode sofrer um aborto espontâneo, óbito fetal ou anomalias congênitas, principalmente alterações do Sistema Nervoso Central do bebê. Logo o DAPD têm trabalhado com esses casos em prol da informação, educação, inclusão, acessibilidade”, explica. 

Para ter acesso aos serviços do DAPD o maceioense deve procurar a SMS , localizada na Rua Dias Cabral, 569, Centro, com laudo médico, cartão SUS, documentos pessoais do beneficiário e comprovante de residência. A equipe da Gerência faz uma análise e encaminha para um CER adequado à sua necessidade. 

*Com Ascom SMS