Assistência Social atende especialistas e adapta programa que vai distribuir leite para crianças em Maceió

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Foto: Célio Júnior

A Secretaria Municipal de Assistência Social de Maceió (Semas) atendeu ao pedido da Sociedade Alagoana de Pediatria, da Rede Internacional em Defesa do Direito de Amamentar e da Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e reformulou os kits alimentares que serão distribuídos às crianças atendidas pelo Programa Primeira Infância Cidadã (PPIC).

A partir das próximas entregas, crianças com idade entre 1 e 3 anos vão receber dez pacotes de leite, em vez de oito, e o espessante será retirado do kit. Além disso, a ação não vai mais destinar o leite para crianças de 6 meses a 1 ano, que devem ser alimentadas com o leite materno e outros alimentos como frutas e legumes, conforme orientação dos especialistas.

Também vão receber os kits as crianças com deficiência que tenham até 6 anos de idade e sejam atendidas pelo PPIC.

O programa atende meninos e meninas em situação de vulnerabilidade acompanhadas pelos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) Selma Bandeira, Área Lagunar e Bela Vista. São famílias dos bairros Vergel do Lago, Bom Parto, Trapiche da Barra, Ponta Grossa, Cruz das Almas, Jacarecica, São Jorge, Jacintinho e Benedito Bentes, que recebem visitas domiciliares para acompanhar e estimular o desenvolvimento das crianças.

Além da reformulação do programa, a Semas irá promover um treinamento para todos os visitadores do PPIC sobre a importância do aleitamento materno exclusivo até os 6 meses de vida e, também, sobre como preparar o leite em pó para a criança de 1 a 3 anos, sempre utilizando a mamadeira ou o copo bem limpos para evitar infecções.

“É importante ressaltar que a Assistência Social segue as recomendações dos especialistas em nutrição infantil e, por isso, realizou a adaptação dos kits para serem entregues já a partir dos próximos dias. A Semas entende e reforça a importância do aleitamento materno e vai fazer ainda mais ações para estimular essa prática entre as mães que atendemos”, destacou a diretora de Proteção Social Básica da Semas, Aline Pedrosa.

O secretário de Assistência Social, Claydson Moura, afirmou ainda que o objetivo do Município sempre foi garantir alimentação a quem tem fome.

“Eu conheço a realidade das mães pobres e vi o depoimento de uma delas, que não tinha o que dar de comer ao filho de 9 meses. Mas se existem essas restrições, vamos adaptar nosso programa a elas”, declarou.

*com Ascom Semas