Aplicativo “Proteção Mulheres” recebe Prêmio Excelência de melhores projetos de 2022

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Hoje foi dia de reconhecimento e celebração no Ministério Público do Estado de Alagoas. Durante a manhã desta sexta-feira (25), ocorreu a solenidade do Prêmio “Excelência em Gestão de Projetos”, iniciativa que tem o objetivo de reconhecer, anualmente, seis projetos estratégicos de sucesso, bem como os melhores gerentes das equipes que integram essas iniciativas. A cerimônia premiou ações coordenadas tanto por promotores de Justiça quanto por servidores.

A solenidade foi conduzida pelo procurador-geral de Justiça, Márcio Roberto Tenório de Albuquerque, que fez questão de ressaltar que a honraria foi criada em sua gestão: “Resolvemos criamos o Prêmio ‘Excelência em Gestão de Projetos’ porque entendemos que se fazia necessário valorizar e reconhecer ainda mais o comprometimento de cada membro e servidor na área de planejamento e gestão do Ministério Público de Alagoas. Idealizar, elaborar e por em prática essas ações estratégicas é uma tarefa difícil e que exige compromisso e dedicação extra ao trabalho, então, exatamente por este motivo, o prêmio é uma forma de agradecermos. E, para além disso, é uma forma da instituição também ver novas iniciativas promovendo a transformação social, uma das mais importantes missões do Ministério Público”, declarou o chefe do MPAL. 

A assessora de planejamento estratégico do MPAL (Asplage), Stela Valéria Cavalcanti, também reconheceu a importância da premiação. “São projetos alinhados ao planejamento estratégico da nossa instituição e mostram o quanto seguir os objetivos traçados, as estratégias e iniciativas previstas no nosso plano estratégico, bem como nos planos gerais de atuação dão frutos positivos. Continuaremos trabalhando nesse contexto de incentivar membros e servidores a planejarem suas ações, assim, torna-se mais fácil alcançarmos grandes resultados”, disse ela. 

A comissão julgadora do prêmio foi formada, além dela, pelo procurador de Justiça Lean Araújo e pelos promotores de Justiça Adriano Jorge Barros e Adriana Gomes. 

Os vencedores da área fim

Na área-fim, o grande vencedor foi o projeto Fitinha da Proteção, que desenvolveu ações de prevenção ao abuso sexual infanto-juvenil durante todo o ano de 2021, com atividades de conscientização e combate a esse crime e a distribuição de fitinhas como símbolo da campanha na cidade de Rio Largo. Ele é coordenado pelo promotor de Justiça Cláudio Luiz Galvão Malta e é composto pelos servidores Andreza Galindo Alves de Queiroz, Clara Morgana Torres da Rocha, Erikson Calheiros de Souza, Jediane Freitas da Silva, João Rodrigo Santos Ferreira e Maria Cristina Mendes Cavalcante Bispo.

A iniciativa Sede de Aprender – Água Potável nas Escolas, que tem atuado em dezenas de municípios alagoanos para garantir água de qualidade nas unidades de ensino públicas privadas, além da melhor estruturação das escolas, conquistou a 2ª colocação. Ele tem em sua coordenação os promotores de Justiça Lucas Sachsida Junqueira Carneiro, Kleber Valadares Coelho Júnior e José Carlos Silva Castro,além do servidor Delúsio de Gusmão Andrade.

O 3º lugar ficou com o projeto Acolher para Proteger, integrado pelo diretor do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça (Caop), promotor José Antônio Malta Marques, e pelo servidor Flávio Vasconcelos de Brito. Ele tem o objetivo de fomentar a criação de casas de acolhimento em todas as regiões do Estado, promovendo o devido acolhimento para crianças e adolescentes em condição de vulnerabilidade social, pessoal, de abandono ou em razão de decisão judicial, contribuindo, assim, para a prevenção ou o agravamento de situações de ruptura de vínculos afetivos e/ou familiares.

Os premiados da área meio

Na área meio, o 1º lugar ficou com o projeto Aplicativo Proteção Mulheres, criado para servir como ferramenta tecnológica para recepcionar denúncias de combate à violência doméstica e psicológica contra a mulher. Ele é coordenado pelas promotoras de Justiça Stela Valeria Soares Cavalcanti, Hylza Paiva Torres de Castro e Marluce Falcão de Oliveira, e integrado ainda pelos servidores Roberto Filipe de Almeida Coimbra, Wesley de Oliveira Cavalcante e Maria Cristina Mendes Cavalcante Bispo. 

O Projeto Assédio Não – #DignidadeParaTodos, desenvolvido em parceria pela Ouvidoria e a Diretoria de Comunicação conquistou o 2º lugar. Ele foi idealizado com a missão de prevenir e combater os assédios moral e sexual no trabalho, conduta que afeta diretamente a dignidade da pessoa no ambiente laboral. A iniciativa é composta pelo procurador de Justiça e ouvidor do MPAL, Lean Antônio Ferreira de Araújo, e pelos servidores Janaina Ribeiro Soares, Thiago Henrique Ferreira, João Cerqueira, Fávia Lima, Anderson Macena, Claudemir Mota, Dulce Melo, Elizangela dos Santos e Valdir Luiz da Silva Junior. 

Já o projeto Sistema de Assentamentos Funcionais de Membros ficou com a 3ª colocação. Composto pela promotora de Justiça Adriana Gomes Moreira dos Santos e pelos servidores Karthalliane de Souza Medeiros, Manuella Góes da Fonseca, Roberto Filipe de Almeida Coimbra e Wesley de Oliveira Cavalcante, ele é uma ferramenta que visa construir práticas uniformes de alimentação de dados funcionais para evitar retrabalhos, disponibilizar o banco de dados existentes na Corregedoria-Geral com os dados funcionais dos membros do Ministério Público e estabelecer critérios de alimentação do sistema entre os parceiros. 

E ainda teve premiação para os melhores gestores de projetos. Os troféus de 1º, 2º e 3º lugares foram entregues aos servidores Delúsio de Gusmão Andrade, Jediane Freitas da Silva e Feilipe Coimbra, dos respectivos projetos Sede de Aprender – Água Potável nas Escolas, Fitinha da Proteção e Sistema de Assentamentos Funcionais de Membros. 

A escolha dos finalistas

Todos os seis finalistas do Prêmio “Excelência em Gestão de Projetos” foram escolhidos pela comissão criada pela chefia do MPAL, que foi composta por integrante da Corregedoria-Geral, Ouvidoria, Centro de Apoio Operacional (Caop) e Assessoria de Planejamento e Gestão Estratégica.

E, para tal escolha, o colegiado levou em consideração critérios como alcance social, alinhamento ao planejamento estratégico do Ministério Público, produção de resultados efetivos, contribuição para os indicadores e metas institucionais e nível de abrangência das ações e seus respectivos resultados.

Já para definir os melhores gerentes de projetos, a comissão avaliou a dedicação aos objetivos da iniciativa, comprometimento, atendimento à metodologia, cumprimentos dos prazos pactuados, entregas planejadas e relatórios previsto.

*Com MP