Após doença da mãe, nordestina prometeu ir a todas as Copas: ‘Qatar é a terceira’

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

A humorista Hela Cerqut, 34 anos, de Salvador, embarcou rumo ao Qtar para assistir de pertinho aos jogos da seleção, dando continuidade a uma promessa feita no Mundial de 2014. Naquele ano, em que a Copa foi sediada no Brasil, Hela viveu um dos períodos mais difíceis da sua vida.

Ela relata que sua mãe foi diagnosticada com um câncer em estágio avançado. “Ela ficou acamada, passei a lhe dar assistência e cuidar de tudo em casa”, lembra. Com a doença evoluindo rapidamente, Hela, então com 26 anos, prometeu que, se os sintomas da mãe amenizassem, ela iria para todas as Copas in loco até completar 50 anos.

O quadro de saúde da mãe melhorou e os jogos do Mundial passaram, assim, a ser um momento de refúgio. “Tenho uma família muito parceira: quando chegava algum parente em casa para visitar minha mãe, eu aproveitava para ir ver a Copa na rua. Instalaram um telão oficial da FIFA na região em que eu morava na época em Salvador e ali eu entrava em um mundo paralelo”, diz Hela.

Saía um pouco daquela atmosfera de dor e tristeza que eu estava vivendo e me recarregava para voltar mais forte e inteira”

Com o apoio da família e da própria mãe, que sabia que a filha era apaixonada por Copas do Mundo, Hela chegou a ir para o Rio de Janeiro para assistir na cidade a final entre Alemanha e Argentina em 2014.

“Foi um momento único. A cidade estava tomada por argentinos e eu fui ver a partida em Copacabana fantasiada de alemã”, recorda.

Em 2018, após se planejar financeiramente e organizar sua vida em casa e no trabalho, Hela começou os preparativos para viajar para a Rússia. “Sou advogada de formação e na época eu tinha um escritório de advocacia, então tive que treinar equipe e deixar tudo programado para a minha ausência. Lembro que no dia da minha viagem, eu fui de ‘mala e cuia’ para o escritório e trabalhei até a hora de ir para o aeroporto para deixar tudo encaminhado”, relata. O sonho, no entanto, teve que O sonho, no entanto, teve que ser interrompido, pois, durante a sua estadia em solo russo, o quadro da mãe piorou aqui no Brasil e ela voltou imediatamente para Salvador.

“Minha mãe foi internada na UTI e pouco depois faleceu. Foi muito triste, mas uma tia e uma amiga me disseram depois do enterro que não tinha mais nada para eu fazer aqui e que o sonho de minha mãe era me ver feliz, realizando meus sonhos. Com essa mensagem em mente, voltei para a Rússia”, conta.

*Com Uol Universa