Mulheres realizam ato contra casos de feminicídio durante julgamento de ex-PM por homicídio de professora em AL

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Foto: Josival Meneses de Souza/Já é Notícia

Acontece nesta terça-feira (22), no Fórum de Arapiraca, Agreste de Alagoas, o julgamento da morte da professora Claudenice Oliveira Pimentel. O acusado do crime é o ex-marido de Claudenice, José Cabral do Nascimento, ex-cabo da Polícia Militar. Um grupo de mulheres realizou um ato público no local e protestou contra os casos de feminicídios em Alagoas.

O crime ocorreu no dia 3 de agosto de 2011, no bairro Cacimbas, em Arapiraca. A vítima morreu carbonizada em sua residência e sua filha, Kerolly Thallya Batista, também foi atingida pelas chamas, mas sobreviveu. A jovem tinha 15 anos na época e era enteada do militar.

O réu será julgado por homicídio qualificado contra Claudenice, por motivo fútil, emprego de fogo e mediante dissimulação, além de tentativa de homicídio contra Kerolly.

O caso

Segundo Kerolly, filha de Claudenice e sobrevivente, o réu tinha um relacionamento com sua mãe e se recusava a sair de casa após o término, passando a ameaçá-la.

No dia 03 de agosto de 2011, José Cabral teria cometido o delito, incendiando inclusive a residência onde morava com a vítima, no bairro Cacimbas, em Arapiraca. Em seu depoimento, José Cabral negou ter cometido o crime.