Moradoras do Feitosa produzem biscoitos caseiros em oficina de empreendedorismo: “alimentos como fonte de renda”

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

A comunidade Moenda, localizada no Feitosa, está recebendo múltiplos serviços de Educação, de Assistência Social e de Economia Solidária.

Nesta quarta-feira (1º), a Secretaria Municipal de Educação (Semed) realizou oficinas de empreendedorismo com a produção de biscoitos caseiros, de educação alimentar e contação de histórias. Também foi realizado um pré-atentimento de matrículas para a Educação de Jovens, Adultos e Idosos de escolas municipais da região.

O Brota na Grota segue até quinta-feira (2) na Grota da Moenda com prestação de serviço e ações direcionadas aos moradores da comunidade, bem como para pais e alunos da rede municipal de ensino.

Na arena da Educação foram realizadas as oficinas de educação alimentar e pré-atendimentos de matrículas para a EJAI. Já a oficina de empreendedorismo, com a produção de biscoitos caseiros, foi realizada na Escola Dom Helder Câmara, no Feitosa, que fica ao lado das arenas montadas do Brota na Grota.

Luciana da Silva, 49 anos, é aluna da EJAI da Escola Municipal Dom Helder, que fica no Feitosa. Ela participou da oficina de biscoitos caseiros e conta que trabalha com confecções de biscuit, ao aproveitar as oficinas de empreendedorismo para expandir os horizontes.

“A minha professora avisou sobre essa oficina e vim conferir. Está sendo bom pra mim, porque no meu caso eu já trabalho com biscuit para lembrancinhas de festas e isso vai ser uma renda a mais pra mim”, disse a aluna. Além de aprenderem a fazer biscoitos de cacau caseiro, que rende uma grana extra, elas também apreenderam dicas de confeccionar embalagens, que atraiam clientes.

A nutricionista da Semed, Ana Deise Gouveia, destaca o objetivo e o impacto social da iniciativa. “A nutrição escolar não poderia ficar de fora desse programa tão importante, que é o Brota na Grota. Porque junto de uma alimentação saudável, a gente tem a possibilidade de empreender e utilizar os alimentos como fonte de renda. E foi isso que nós visualizamos quando propomos esta oficina. Muitas acharam que iam só aprender a fazer os biscoitinhos, mas despertamos nelas o olhar empreendedor”, pontuou.

Luzivam Balbino, 58 anos, é pintor e morador da Grota da Moenda. Ele foi até as arenas do Brota na Grota e aproveitou para tirar dúvidas sobre a matrícula na EJAI. “Eu nunca estudei e agora estou com vontade de estudar. Sempre fiquei meio envergonhado de ir até as escolas, aí aproveitei e vim aqui tirar dúvidas”, afirmou.

No último dia do Brota na Grota, na região, na quinta-feira (2), haverá divulgação de parcerias com Associações (OSC) da Educação, ginástica laboral e oficina de contação de histórias.

*Com Assessoria