Colabore com o Eufemea

Santa Dulce dos Pobres: nos 31 anos da morte da 1ª mulher canonizada no Brasil, artistas baianas gravam clipe de homenagem

Foto: Reprodução

A morte de Santa Dulce dos Pobres, primeira mulher canonizada no Brasil, completa 31 anos nesta segunda-feira (13). Para celebrar a data marcante, artistas baianas, como a ministra da Cultura, Margareth Menezes, Daniela Mercury e Ivete Sangalo gravam clipe de homenagem.

No vídeo, os quatro cantam “Doce Luz”, escolhida como música oficial da canonização de Irmã Dulce. A canção é uma composição de Léo Passos e Chico Gomes. O clipe é uma iniciativa da Capela Santa Dulce de Castro Alves.

Santa Dulce dos Pobres: nos 31 anos da morte da 1ª mulher canonizada no Brasil, artistas gravam clipe de homenagem  — Foto: Reprodução/Capela Santa Dulce de Castro Alves
Santa Dulce dos Pobres: nos 31 anos da morte da 1ª mulher canonizada no Brasil, artistas gravam clipe de homenagem — Foto: Reprodução/Capela Santa Dulce de Castro Alves

Na gravação, uma atriz interpreta Santa Dulce, enquanto os quatro artistas cantam a música. O clima de paz é marcado por velas e flores. Crianças do coral da Escola de Música José Oliveira também participam do clipe.

Beatificação e canonização de Santa Dulce

Tapeçaria com imagem da Irmã Dulce, a Santa Dulce dos Pobres, na Praça de São Pedro, no Vaticano — Foto: Bruno Batista/VPR
Tapeçaria com imagem da Irmã Dulce, a Santa Dulce dos Pobres, na Praça de São Pedro, no Vaticano — Foto: Bruno Batista/VPR

O Anjo Bom da Bahia nasceu em 26 de maio de 1914, em Salvador. Irmã Dulce foi beatificada em 2011, após ter o primeiro milagre reconhecido. A graça alcançada foi a recuperação de uma paciente que teve uma grave hemorragia pós-parto.

O sangramento da mulher parou subitamente, sem intervenção médica, após pedidos de clemência à então freira. Após beatificada, Dulce Lopes Pontes passou a ser chamada “Bem-aventurada Dulce dos Pobres”.

Em maio de 2019, Irmã Dulce teve outro milagre reconhecido e foi então proclamada santa, no Vaticano. O miraculado foi maestro soteropolitano José Maurício, que voltou a enxergar após fazer uma oração para Dulce.

Ele teve glaucoma e começou a perder a visão em 1999. Em 2000, ele já estava cego, mas em 2014 voltou a enxergar. A cerimônia de canonização foi realizada em 13 de outubro de 2019, no Vaticano, pelo Papa Francisco.

*com G1