Colabore com o Eufemea

Alagoas em 2023: dos 19 feminicídios, 15 foram contra mulheres negras; veja o perfil das vítimas

Rebecca Moura e Raíssa FrançaFoto: Mídia Ninja/Reprodução

Alagoas registrou 19 casos de feminicídios em 2023, 15 delas eram mulheres negras, segundo informações obtidas pelo Eufêmea por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI). Dos 19 casos, três aconteceram na capital, dois em Arapiraca, no Agreste, e os outros em outras cidades do interior.

Quem eram essas mulheres? A reportagem buscou traçar um perfil delas.

Em relação à cor/raça das vítimas de feminicídio em Alagoas em 2023, a maioria das mulheres assassinadas era classificada como parda, totalizando 12 casos. Seguindo essa estatística, houve 3 casos de mulheres pretas e 3 casos de mulheres brancas. Houve também um caso em que a informação sobre a cor/raça da vítima não foi disponibilizada (como no caso de Inhapi, em Alagoas).

Para o IBGE, pessoas pretas e pardas são consideradas negras.

Municípios que registraram feminicídio em 2023:

  • Delmiro Gouveia: 2 casos
  • São Sebastião: 2 casos
  • Maceió: 3 casos
  • Arapiraca: 2 casos
  • Craíbas: 1 caso
  • Palmeira dos Índios: 1 caso
  • São José da Laje: 1 caso
  • Rio Largo: 1 caso
  • São José da Tapera: 1 caso
  • Barra de Santo Antônio: 1 caso
  • Ibateguara: 1 caso
  • Canapi: 1 caso
  • Murici: 1 caso
  • Inhapi: 1 caso

Sobre a faixa etária das vítimas de feminicídio, observamos uma ampla variação etária, destacando a vulnerabilidade de mulheres de diferentes idades diante da violência de gênero.

  • 19 anos
  • 21 anos
  • 24 anos (duas vítimas)
  • 25 anos
  • 26 anos
  • 27 anos
  • 30 anos
  • 37 anos (duas vítimas)
  • 38 anos (duas vítimas)
  • 42 anos
  • 44 anos
  • 50 anos
  • 51 anos
  • 56 anos
  • 57 anos
  • 65 anos

Em relação à profissão das vítimas de feminicídio, a maioria dos casos não teve a profissão especificada (NI – Não Informado), totalizando 13 casos. No entanto, entre os casos em que a profissão foi mencionada, destacam-se uma vítima que era farmacêutica, uma agricultora, uma diarista e uma cabeleireira.

Sobre os meses que registraram feminicídio, os meses de janeiro, março (mês da mulher) e setembro foram os que mais contabilizaram mortes.

  • Janeiro de 2023: 3 casos
  • Fevereiro de 2023: 2 casos
  • Março de 2023: 3 casos
  • Abril de 2023: 1 caso
  • Maio de 2023: 2 casos
  • Junho de 2023: 2 casos
  • Julho de 2023: 1 caso
  • Setembro de 2023: 3 casos
  • Novembro de 2023: 1 caso
  • Dezembro de 2023: 1 caso

Leia Mais: Saiba como denunciar casos de violência doméstica em Alagoas

Rebecca Moura

Rebecca Moura

Estudante de jornalismo pela Universidade Federal de Alagoas. Colaboradora do portal Eufêmea.