Colabore com o Eufemea

Dançarina de Maceió denuncia ex-companheiro por agressão em carro por aplicativo; suspeito é preso 

Foto: Reprodução

A dançarina Raquel Brito utilizou suas redes sociais na noite dessa segunda (8), para denunciar seu ex-companheiro por agressão, em Maceió. Em um vídeo compartilhado em sua conta do Instagram, Raquel aparece com o olho direito inchado e roxo, enquanto relata os momentos de violência que vivenciou.

“Eu estava me relacionando com uma pessoa, mas ela não aceitou a separação. Há tempos já falava que não queria mais, que não dava mais, que fosse viver a vida dela. Até que chegamos ao ponto de discutir e ele fez isso”, desabafou Raquel.

Segundo o relato da vítima, a agressão teria ocorrido durante uma viagem de carro por aplicativo, após uma discussão entre o casal. “Isso – aponta para o olho – foi dentro do Uber, quando estávamos indo para casa. Quando chegamos em casa, ainda continuou a discussão. Liguei para a polícia pedindo socorro, gritei por vizinhos”, relatou a dançarina.

Ainda em relato, Raquel incentivou outras mulheres a não se calarem diante de situações de violência doméstica. “Não ia usar minhas redes para isso, porque não gosto de compartilhar coisas tristes, porque não sou assim, eu sou alegre, feliz, onde chego faço amizade com todo mundo, brinco, me divirto, as pessoas gostam de mim e eu estou muito mal mesmo. Nunca passei por isso na minha vida. Está marcado na minha alma”, afirmou.

Ela ainda ressaltou a importância de não minimizar casos de agressão e de buscar ajuda imediata. “Quando um homem não aceita a separação e simplesmente faz isso [agredir], então ele é capaz de qualquer coisa. A gente pode ver a cara, mas a gente não sabe o coração da pessoa. Ela pode ser bom como for, mas em uma situação como essa é quando você conhece a pessoa. Não se calem”, alertou.

A dançarina tomou medidas legais imediatas, indo à delegacia para registrar um boletim de ocorrência contra o agressor, que foi detido e responderá de acordo com a Lei Maria da Penha. Raquel finalizou seu relato incentivando outras mulheres a também denunciarem casos de violência doméstica e a não tolerar nenhum tipo de agressão.

“Isso não é brincadeira, vocês tomem uma atitude, não deixem se levar, não passem pano. A pessoa que faz isso tem capacidade de fazer qualquer coisa”, concluiu.

Saiba aqui como denunciar casos de violência doméstica em Alagoas

Rebecca Moura

Rebecca Moura

Estudante de jornalismo pela Universidade Federal de Alagoas. Colaboradora do portal Eufêmea.