Colabore com o Eufemea

“Celebração do talento visual”: Projeto Dossiê Fotografia Alagoana retorna para celebrar o talento visual dos profissionais do estado

Foto: Ascom Secult


A 8ª edição do projeto Dossiê Fotografia Alagoana exalta a sensibilidade visual dos profissionais do estado. Os fotógrafos João Erisson e Flávia Gazzanéo foram os escolhidos para contar histórias através das lentes. A edição pode ser conferida na versão impressa na revista Painel Alagoas e através do site aquiacola.net.

O projeto é realizado pelo Blog Aqui Acolá com recurso da Lei Paulo Gustavo (LPG) do Governo Federal, operacionalizado pelo Governo de Alagoas, através da Secretaria de Estado da Cultura e Economia Criativa (Secult).

“O Dossiê Fotografia Alagoana é uma celebração do talento visual dos nossos profissionais. Fico muito feliz em ver o reconhecimento e a valorização da arte fotográfica alagoana, que revela as diversas facetas do nosso estado e da nossa gente”, declarou a secretária de Estado da Cultura e Economia Criativa, Mellina Freitas.

João Erisson é nativo da Zona da Mata alagoana, mais especificamente da cidade de Murici. “Eu com 8, 9 anos trabalhava esticando couro de boi pra ganhar dinheiro do ingresso do cinema”, relembra ele. “Ainda não fotografava, mas as imagens já tomavam a minha cabeça”. Ele recorda que o encantamento começava antes mesmo de entrar na sala de exibição. “Os cartazes, as fotos em preto e branco, depois as coloridas já me despertavam a curiosidade e o interesse”. Já dentro do cinema, as paisagens dos grandes desertos americanos dos filmes de faroeste eram o que lhe agarravam o olhar infantil.

Ele conta que, desde sempre, sua referência no ofício fotográfico vem de dentro de si próprio e de toda a bagagem visual e sensorial que adquiriu ao longo da vida. João destaca a amplitude de possibilidades que a fotografia possibilita, contudo ele se considera mais um fotógrafo de rua. “Gosto muito também das fotos de shows e de teatro”. Através de seu intenso e reconhecido trabalho nos espetáculos teatrais e musicais, João Erisson já compôs duas exposições individuais com essa temática – “Apolo em Cena” e “Revelando o palco”.

Já Flávia Gazzanéo é natural de Maceió e começou a despertar para a fotografia ainda adolescente ao receber de presente do pai uma câmera Love. De lá pra cá, foi alimentando seu interesse e evoluindo, tanto em equipamentos como em estudos e práticas. Porém, desde a pandemia em 2020 que sua trajetória decolou consideravelmente. “Sou servidora pública e naqueles primeiros meses em casa eu comecei a refletir muito e percebi que ao longo de toda a minha vida eu nunca tinha me dedicado a algo que me despertasse a criatividade, que me ligasse mais à arte que eu sempre amei”, revela ela. “Sempre tive trabalhos burocráticos e naquele momento eu pensei que havia chegado a hora”.

Ela marca o final do ano de 2022, cerca de um ano depois que entrou em contato com a fotografia alagoana, como ponto de partida de sua carreira profissional. “Já estava mais firme nas minhas ideias e propósitos artísticos, e dos caminhos que eu queria trilhar”, comenta. Já no ano seguinte, Flávia estreou em exposições com a mostra coletiva Óptica na Galeria Gamma e logo em seguida inaugurou, junto com o pintor Paulo Santana, a exposição Jaraguá Paisagem-Miragem, aliando fotografia à pintura, que ficou em cartaz no Museu da Imagem do Som de Alagoas (Misa). Hoje, o trabalho de Flávia está mais voltado para o documental-poético, no qual ela busca através de seu olhar sensível a poesia nas imagens do mundo.

SOBRE O DOSSIÊ

A proposta do projeto é registrar, a cada edição, aspectos da produção fotográfica no estado com o objetivo de contribuir para identificação, reconhecimento e valorização deste segmento. A cada matéria, dois fotógrafos com trabalhos similares ou não, revelam suas respectivas imersões e trajetórias pelo universo da fotografia e apresentam suas percepções e narrativas.

A equipe responsável pelo Dossiê Fotografia Alagoana é composta pela jornalista Iranei Barreto, o publicitário Joenne Mesquita e o jornalista Nicollas Serafim. “Faz parte do projeto discutir a relação da fotografia com a contemporaneidade, a fotografia documental e artística, tendências de vanguarda, exposições, equipamentos e impressões, além de abordar a profissionalização e desafios do mercado local”, disse a idealizadora do projeto.

*Com Assessoria