Colabore com o Eufemea

Cinedebate aborda inclusão da pessoa com deficiência: “temas sensíveis, importantes e invisibilizados”

Foto: Ascom

“Seja gentil, pois todos enfrentam uma batalha. E se quiser ver como as pessoas realmente são, basta olhar.” Essa foi a mensagem do filme “Extraordinário”, exibido exclusivamente para os servidores públicos do estado, em mais uma atividade do mês de sensibilização do Censo dos Servidores 2024. A exibição, seguida de uma roda de conversa sobre a inclusão da pessoa com deficiência, ocorreu na quarta-feira, 19, no Cine Arte Pajuçara.

“Talvez o extraordinário esteja acontecendo agora”, disse Nathálya Canuto, assessora especial da Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag), durante a abertura da roda de conversa que tratou de temas sensíveis, importantes e invisibilizados durante muito tempo. “O que procuramos com essa série de ações de sensibilização é trazer informação, isso porque servidores conscientes e informados conseguem entender a importância do que vamos viver a partir das respostas do Censo”, acrescentou ela, que é mãe de um filho autista.

Thaynara Pires, membro da Comissão de Defesa da Pessoa com Deficiência da OAB/AL, mediou a roda de conversa, informando que a pessoa com deficiência tem apenas uma limitação ou um impedimento para alguma coisa. “Ela não se torna incapaz, porque continua sendo capaz para outros atos, mas será incapaz ou limitada diante das barreiras que muitas vezes são impostas por nós, sociedade”, frisou.

Os aspectos da história do protagonista do filme resumem muitas das próprias experiências das convidadas. Uma delas é Paula Ravenala, servidora da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal), que atua como assistente administrativa na Maternidade Escola Santa Mônica (Mesm). “Como servidora pública e pessoa com deficiência, é importante conscientizar sobre acessibilidade e valorizar a pessoa além da deficiência, reconhecendo-a como um indivíduo completo e não apenas alguém que preenche uma cota”, frisou.

Paula Ravenala falou sobre algumas medidas práticas que gestores e colegas de trabalho podem adotar para tornar os locais de trabalho mais inclusivos. “O primeiro passo é ouvir a pessoa com deficiência. O segundo passo é incluir”, apontou. Segundo ela, é preciso incluir de uma forma realmente concreta, o que é diferente de integrar. “Integrar é fazer uma rampa ou criar uma funçãozinha para a pessoa. Incluir é adaptar, fazer com que a pessoa seja realmente aceita e se sinta parte do todo da equipe”, completou.

Rosana Lucena, servidora do Ministério Público de Alagoas, defendeu que a maior barreira para a inclusão é atitudinal. “Perdi toda a visão com um ano de estágio probatório, mas me capacitei para voltar a realizar minhas atividades no trabalho, e não para ficar encostada, como peça de vitrine”. Já a influenciadora, modelo e primeira habilitada no Brasil com Síndrome de Down, Laura Simões, citou que “ser diferente faz toda a diferença”.

Mês de sensibilização

A Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag) anunciou o Censo dos Servidores 2024, com o objetivo de mapear o perfil dos servidores públicos estaduais através de um formulário online em julho. Esta iniciativa visa subsidiar a criação de políticas públicas para melhorar e modernizar a gestão de pessoas no serviço público, promovendo ambientes de trabalho mais diversos e inclusivos, em alinhamento com as prioridades do governo estadual. Trata-se de um projeto inédito que reforça o compromisso com a transformação e modernização da administração pública, tornando-a mais representativa e inclusiva.

Para sensibilizar os servidores sobre a importância do Censo e os temas abordados no formulário, diversas ações de conscientização serão realizadas ao longo do mês de junho. Estes eventos tratarão de questões como raça, gênero, identidade religiosa, orientação sexual e pessoas com deficiência. A programação inclui palestras, rodas de conversa, letramentos e debates, que ocorrerão em diferentes locais e datas, proporcionando momentos de reflexão e aprendizado para todos os participantes.

As inscrições devem ser feitas pelo link https://capacitacao.al.gov.br

Cada evento de sensibilização garantirá certificado de participação para os servidores, e aqueles que participarem de todos os eventos do ciclo de diversidade receberão um certificado único.

Confira a agenda com as próximas palestras:

21 de Junho – Palestra –  Instituições Inclusivas: Acesso para Todos, 9h

Local: EGAL

26 de Junho – Letramento sobre Orientação Sexual, 9h

Local: EGAL

28 de Junho – Roda de Conversa: Orientação Sexual, 9h

Local: Auditório do IFAL

Encerramento do Mês de Sensibilização

*Com Assessoria