Colabore com o Eufemea

Educastem 2030 promove igualdade de gênero na ciência: “coragem para seguir os meus sonhos”

Foto: Alexandre Teixeira / Ascom Seduc

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc), em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), realizou nesta terça-feira (11) o Seminário de Lançamento da Formação Educastem 2030 com professores e estudantes da rede estadual de Maceió (escolas da 1ª e 13ª Gerências Especiais de Educação), que integram o programa “Professor Mentor – Meu Projeto de Vida”. O lançamento aconteceu na Escola Superior da Magistratura do Estado de Alagoas (Esmal) e foi transmitido simultaneamente pelo canal “Educação Alagoas” no YouTube.

Em resposta ao cenário desafiador que abrange a exclusão de meninas e mulheres nas áreas de “STEM” – acrônimo em língua inglesa para “science, technology, engineering and mathematics” que representa um sistema de aprendizado científico, agrupando disciplinas educacionais em “ciência, tecnologia, engenharia e matemática – a Unesco convocou diferentes parceiros e lançou em âmbito nacional a iniciativa “#EDUCASTEM2030”.

Por meio de estratégias de formação de professores e estudantes, iniciativas de comunicação e “advocacy” e mapeamento de redes, a iniciativa contempla e tem como objetivo impactar de forma positiva os âmbitos – individual, social, escolar e familiar – identificados como peças chaves na reversão do cenário de exclusão.

Educastem 2030 e o desenvolvimento sustentável

Até o ano de 2030, a comunidade internacional se comprometeu a enfrentar uma série de questões compartilhadas universalmente para promover o bem comum por meio da “Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável”. A agenda inclui 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que integram três dimensões – econômica, social e ambiental – e dentre as metas e objetivos, está a garantia da igualdade de gênero na ciência, por meio de ações como o “Educastem 2030”.

A consultora do setor de educação da Unesco no Brasil, Shirley Costa, explica que as parcerias são fundamentais para que a “Agenda 2030” seja concretizada. “As parcerias com as instituições são muito importantes para que a ideia chegue a todos. No ensino superior, por exemplo, nós mulheres representamos apenas 35% das matrículas em STEM. Esse é um número muito baixo. Precisamos que as meninas se vejam nessa área, sejam encorajadas e tenham representantes do seu sonho no dia a dia”, revela Shirley.

Já Tainá Caldas é estudante de Engenharia de Produção na Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) e menciona que o Educastem 2030 foi um divisor de águas na sua vida. “O projeto me fez enxergar a vida com outros olhos e me deu mais coragem para seguir os meus sonhos. Foi ouvindo histórias de outras mulheres da área que eu me descobri também. Hoje estar aqui como inspiração para outras meninas é motivo de orgulho”, diz a estudante emocionada.

Na ocasião, também estiveram presentes a secretária executiva do Desenvolvimento da Educação e Cooperação com os municípios, Sueleide Duarte; a gerente especial da 1ª GEE, Anne Kelly Martins, e a gerente especial da 13ª GEE, Taciana Gomes. Além disso, o evento teve a presença da consultora do setor de Educação da Unesco no Brasil, Tábata Cordeiro, da pesquisadora do Instituto de Física da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Fernanda Matias, e da estudante inspiradora, Tainá Caldas.

Saiba mais sobre o “Professor Mentor, Meu Projeto de Vida”

O programa “Professor Mentor, Meu Projeto de Vida” visa o fortalecimento e recomposição das aprendizagens, o que inclui, dentre outras ações, o desenvolvimento do projeto vida do estudante, apoio na execução do Cartão Escola 10 e combate ao abandono escolar.

Os professores mentores participam de uma formação que consiste em um plano de formação para apoiar os demais professores em seu amadurecimento profissional e para melhorar o acompanhamento da sua turma. Além dessa formação, a Seduc oferece o curso “Projeto de Vida”, que é uma formação à distância de curta duração para os professores bolsistas do Programa Professor Mentor.

A partir disso, o professor desenvolve junto à turma um projeto de vida baseado em um eixo norteador (Projeto de Vida) e cinco eixos estruturantes, sendo: diversidades, engajamento e território, competências socioemocionais, recomposição e apoio à aprendizagem e à família. O aluno monitor irá acompanhar todas as atividades, preencher um cronograma mensal e apoiar os colegas durante as atividades.

Em 2023, foram distribuídas 7.330 bolsas para professores mentores e alunos monitores, respectivamente, no valor de R$ 1.500 e R$ 250 mensais, contabilizando um investimento de R$ 55 milhões.

*Com Assessoria