Colabore com o Eufemea

Junho Violeta: Secretária Arabella Mendonça fala sobre o enfrentamento à violência contra a pessoa idosa

Foto: Assessoria

Dados do Disque 100, Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos, do Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania (MDHC) revelam que, em 2023, mais de 1.100 casos de violações de direitos humanos foram registradas contra pessoas idosas, em Alagoas, sendo 46,38% dessas violações na própria casa da vítima. Já nos primeiros quatro meses deste ano, os dados revelam 548 denúncias no estado, o dobro das violações registradas no mesmo período em 2023, sendo 49,27% na residência da vítima.

Para enfrentar esse tipo de violência, o Governo de Alagoas lançou, por meio da Secretaria de Estado da Cidadania e da Pessoa com Deficiência (Secdef), mais uma edição da campanha Junho Violeta, com ações durante todo este mês, voltadas à mobilização da sociedade para a proteção das pessoas com 60 anos de idade ou mais. Em 15 de junho é celebrado o Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa, conforme declarado pela Organização das Nações Unidas (ONU) e a Rede Internacional de Prevenção à Violência à Pessoa Idosa no ano 2006.

Na entrevista a seguir, a secretária de Estado da Cidadania e da Pessoa com Deficiência, Arabella Mendonça, conversa sobre o tema e pede engajamento da sociedade para combater esse mal.

Secretária, em que consiste essa Campanha?

O Junho Violeta se consolida como um mês crucial para a conscientização e combate à violência contra a pessoa idosa. Mais do que um período de reflexão, é um momento para agirmos em conjunto para erradicar essa triste realidade que afeta a vida de milhares de alagoanos. Infelizmente, a violência contra os idosos é uma realidade presente em nossa sociedade, e diversos fatores contribuem para esse cenário. É fundamental que todos nós – Estado e comunidade – nos unamos para construir uma sociedade mais justa e acolhedora para todos, especialmente para essas pessoas.

O que o Governo de Alagoas espera alcançar com uma campanha como essa?


Nosso objetivo é despertar a consciência dos alagoanos para a cruel realidade da violência contra as pessoas idosas. Abusos físicos, psicológicos e financeiros e negligência são apenas algumas das faces dessa triste realidade. Ou seja, é um chamado à ação para diminuir e amenizar o sofrimento dessa população que, infelizmente, enfrenta diversos tipos de violência.

Quais as principais ações da campanha?

Durante este mês de junho, a Secdef realizará ações de mobilização e conscientização, iluminação de monumentos e prédios públicos na cor violeta, seminário, rodas de conversa nos municípios, oficinas, apresentações culturais e panfletagem nos locais de trabalho para sensibilizar os trabalhadores no tocante à necessidade de engajamento no combate à violência contra a pessoa e idosa.

Qual a importância dessa campanha?

É uma campanha a nível nacional que o Governo de Alagoas abraça, e ela visa realmente transmitir uma mensagem de promoção, neste mês, em alusão ao dia 15 de junho, que é o Dia Internacional de Combate à Violência contra Pessoa Idosa, para despertar e reforçar o trabalho que a Secdef já está construindo a cada dia, de forma permanente, para combater esse tipo e violência.

Existem canais para denunciar atos que configurem violência contra pessoas idosas?

O principal canal de comunicação para esses tipos de violência é o do Disque 100. Além dele, podemos fazer a denúncia pelo Disque 181 e temos também o número do Conselho Estado da Pessoa Idosa, (82) 98727-7466, os Conselhos Municipais, o Centro de Direitos da Pessoa Idosa, no número (82) 98727-7466, a Delegacia de Vulneráveis Yalorixá Tia Marcelina e o 190. No site do Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania, e também tem o aplicativo Direitos Humanos Brasil.

*Com Assessoria