Colabore com o Eufemea

Em Maceió, Zambelli chama deputada Benedita da Silva por nome mulher escravizada e gera repúdio

Foto: WikiFavela

Durante uma live nas redes sociais, a deputada Carla Zambelli (PL-SP) chamou a deputada Benedita da Silva (PT-RJ) de “Chica da Silva”. A declaração da deputada foi feita enquanto Zambelli reclamava de não ter sido autorizada a discursar na primeira reunião de mulheres parlamentares dos países que integram o G-20, em Maceió. A fala da deputada bolsonarista gerou revolta de outras parlamentares.

“Eu não vou ter poder de fala. Eu não vou falar porque provavelmente… não sei por que que eu não vou falar. Parece que já foi montada pela Secretaria da Mulher, que é a Chica da Silva que vai falar”, disse a parlamentar do PL.

A deputada Benedita da Silva é a atual coordenadora da Secretaria da Mulher na Câmara dos Deputados e discursou no evento. Em entrevista ao Globo, a deputada Benedita disse que vai notificar judicialmente Zambelli.  

“Estava ali como coordenadora geral do encontro, preocupada com o encontro. Quando eu soube, já tinham tomado providências na Câmara, o PT já tinha se manifestado com uma nota de repúdio, e as mulheres (do evento) já estavam também se posicionando nos seus núcleos. Eu acredito que ela terá a correção necessária, se jurídica, se política, mas já tomaram providência. Eu acho que isso ela vai ter que responder, porque já tem gente entrando com ações”, afirmou Benedita ao Globo.

Em nota enviada pela assessoria da parlamentar, a equipe disse que Zambelli ‘confundiu’ o nome de Benedita.

Na última segunda-feira, a deputada Carla Zambelli equivocou-se em uma transmissão ao vivo realizada em uma rede social, e confundiu o nome da deputada Benedita da Silva.

Imediatamente quando percebeu o ocorrido, Zambelli apagou a publicação de suas redes e se desculpou com a deputada Benedita. A conversa foi amigável e houve compreensão da situação.

Zambelli lamenta o referido lapso, mas torna público que não houve qualquer intenção de ofensa à sua colega de Parlamento. Mais uma vez, Carla Zambelli pede desculpas à deputada Benedita da Silva.

Por fim, fica o lamento pela parcialidade com que veículos de comunicação tem abordado a situação, pois Zambelli sempre repudiou veementemente atos racistas, como o recente ataque sofrido por seu colega de bancada, Helio Lopes, e que foi ignorado de modo solene por inúmeros canais“, diz a nota.

Quem foi Chica da Silva?

Francisca da Silva de Oliveira, mais conhecida como Chica da Silva, nasceu por volta de 1732 e faleceu em 1796, em Minas Gerais. Ela era uma mulher escravizada que foi alforriada e se tornou uma das figuras mais icônicas do período colonial brasileiro.

Após ser alforriada, Chica se destacou na sociedade do Arraial do Tijuco (atual Diamantina), desafiando as normas sociais e raciais da época.

Repúdio

Nas redes sociais, autoridades repudiaram o que aconteceu com a deputada Benedita. Em Alagoas, a secretária Maria José, da Semudh, prestou solidariedade e disse que Bené é exemplo de força, uma guerreira, que há anos vem construindo a política brasileira, uma grande companheira e referência de partido. “Uma voz incansável na defesa dos direitos dos mais vulneráveis, seu exemplo inspira milhares de brasileiros e brasileiras a continuarem na batalha por um país mais justo e inclusivo”, disse.

A vereadora Olívia Tenório e presidente da Comissão em Defesa aos Direitos das Mulheres também repudiou o ato racista e disse: “Hoje, no Dia da Discriminação Racial, vemos um ato racista por parte da deputada Carla Zambelli. Chamar a deputada Benedita da Silva de “Chica da Silva” durante um evento em Maceió é inadmissível. Deixe aqui meu repúdio e reafirmo meu compromisso de lutar como aliada antirracista.”

Também vereadora, Teca Nelma escreveu: “INACEITÁVEL! @dasilvabenedita representa o Brasil que acreditamos: luta pela juventude, redução da pobreza e desigualdade. Repudio o racismo contra a deputada no evento P20 em Maceió. Absurdo num espaço para mais mulheres no poder.”

O PT também trouxe uma nota de repúdio: “Nossa solidariedade e apoio a nossa grande referência e exemplo de luta @dasilvabenedita, que foi chamada de ‘Chica da Silva’ pela deputada bolsonarista Carla Zambelli. Benedita tem uma trajetória política exemplar, principalmente na luta do povo preto. Racistas não passarão.”

Raíssa França

Raíssa França

Cofundadora do Eufêmea, Jornalista formada pela UNIT Alagoas e pós-graduanda em Direitos Humanos, Gênero e Sexualidade. Em 2023, venceu o Troféu Mulher Imprensa na categoria Nordeste e o prêmio Sebrae Mulher de Negócios em Alagoas.