Colabore com o Eufemea

Mulheres parlamentares participam de reunião do Fórum do G20, em Maceió

Foto: Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados

A Câmara dos Deputados promove nesta segunda (1º) e terça-feira (2) a 1ª Reunião de Mulheres Parlamentares do P20, o fórum do Poder Legislativo do G20, com o lema “Construindo um Mundo Justo e um Planeta Sustentável”.

As parlamentares dos países-membros do G20 (grupo que representa as 19 maiores economias do mundo, mais a União Europeia e a União Africana) e também das nações convidadas para a Cúpula de Líderes, além de representantes de organismo internacionais, vão debater temas como promoção da justiça climática, desenvolvimento sustentável e combate às desigualdades. O foco das discussões serão os impactos para meninas e mulheres.

O encontro ocorrerá no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, em Maceió (AL), uma das cidades-sede do G20. 

A coordenadora da bancada feminina, deputada Benedita da Silva (PT-RJ), considera muito importante que as decisões do G20 passem também pelos parlamentos. “Os congressos nacionais têm uma relevância enorme nas decisões e tratativas que o G20 tem feito, então é preciso que a gente apresente também uma proposta para o meio ambiente e a economia”, disse.  

“E todas essas questões têm o recorte de gênero. Nós estamos colocando as mulheres discutindo esses temas e dizendo o tanto essas pautas são importantes para as suas vidas”, acrescentou.

Troca de experiências
A deputada Soraya Santos (PL-RJ) ressalta que, em geral, as delegações são muito mais masculinas, daí a importância do encontro. “Aí você tem a possibilidade real de saber quais são as dificuldades e experiências para a questão ambiental, para combater a violência e a violência política contra a mulher”, citou.

Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

Discussão e votação de propostas. Dep. Soraya Santos (PL - RJ)

Soraya Santos: é importante ouvir países onde há mais mulheres em espaços de poder

Além disso, a parlamentar lembra que os países mais desenvolvidos têm mais mulheres em espaços de poder, e a troca sobre o tema pode ser muito rica. “O que está faltando para o Brasil? Será que a política de cuidado, será que é a política de cota?”, questionou. Ela acrescentou que poderão ser realizadas reuniões bilaterais durante o evento para debater questões específicas. “A gente quer que este evento, que é pioneiro no G20, seja reproduzido nos outros anos”, afirmou.

Programação
A cerimônia de abertura do evento terá a presença do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), que assumiu o comando do P20 em outubro de 2023, no lugar do presidente da Casa do Povo da Índia, Om Birla. Além disso, participarão da solenidade a 2ª secretária da Mesa Diretora da Câmara, deputada Maria do Rosário (PT-RS), e a coordenadora da bancada feminina, Benedita da Silva, entre outras autoridades. 

A programação da 1ª Reunião de Mulheres Parlamentares do P20 contará ainda com um painel sobre os avanços legislativos e das políticas públicas para as mulheres no Brasil. Haverá sessões de trabalho sobre a ampliação da representatividade feminina em espaços decisórios; sobre o combate às desigualdades e a promoção da autonomia econômica das mulheres; e sobre a promoção da justiça climática e o desenvolvimento sustentável para mulheres e meninas. 

Renato Araujo/Câmara dos Deputados

Audiência Pública - Educação climática para jovens, negros e indígenas. Dep. Socorro Neri (PP-AC)

Socorro Neri: transição climática deve priorizar populações mais vulneráveis

“Nós vamos fazer essa discussão no P20 buscando olhar de que forma nós, parlamentares mulheres, podemos e devemos participar para estabelecer legislações que busquem, de fato, levar a sociedade a um consciência ecológica para termos uma transição climática justa”, explica a deputada Socorro Neri (PP-AC).

Segundo ela, uma transição climática justa deve “olhar para aquelas populações mais vulneráveis, que são exatamente as que menos contribuem para os efeitos das mudanças climáticas e são as mais atingidas: os indígenas, os ribeirinhos, as pessoas que residem em regiões periféricas das cidades”. 

Delegações confirmadas
Quatro organismos internacionais – União Europeia, ONU, ONU Mulheres e Mercosul – e 26 países irão enviar delegação para a 1ª Reunião de Mulheres Parlamentares do P20. Ao todo, estão confirmadas 171 mulheres deputadas e senadoras.

Dos países-membros do G20, irão participar: Alemanha, Arábia Saudita, Argentina, Brasil, China, Estados Unidos, Índia, Indonésia, Itália, México, Reino Unido, Coreia do Sul e Rússia. 

Estarão presentes ainda, como convidados do grupo, representantes dos seguintes países: Angola, Espanha, Nigéria, Noruega, Portugal, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, São Tomé e Princípe, Timor-Leste, Bolívia e Paraguai.

G20 no Brasil
A 1ª Reunião de Mulheres Parlamentares é um dos diversos eventos que precedem a Cúpula de Líderes do G20, que acontecerá no Rio de Janeiro, no final de novembro, com os chefes de Estado e de governo.

Em 2024, o Brasil exerce a presidência do G20, que reúne anualmente os países com as maiores economias do mundo para discutir questões econômicas, políticas e sociais. 

Ao longo do ano, serão realizadas mais de 100 reuniões dos grupos de trabalho nas 15 cidades-sede do evento, distribuídas nas cinco regiões do País. No âmbito legislativo, além da reunião das mulheres parlamentares, será realizada a Cúpula do P20, em Brasília, em novembro.

Os países do G20 representam cerca de 85% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial, mais de 75% do comércio do planeta e quase 2/3 da população mundial.

Fonte: Agência Câmara de Notícias