Prefeitura de Maceió presta assistência a mais de quatro mil pessoas: “ suporte necessário”

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Devido às fortes chuvas que caíram na capital na última semana e causou diversos estragos para a população, as secretarias da Prefeitura de Maceió estão mobilizadas para prestar assistência às famílias que estão desalojadas e minimizar os danos causados pelas devido ao aumento do nível da Lagoa Mundaú, que invadiu as casas na região lagunar.

De acordo com a diretora de Proteção Social Básica da Semas, Aline Pedrosa, ao chegar nos abrigos, as famílias são divididas por salas, priorizando os idosos, gestantes, pessoas com comorbidades, deficientes e crianças.

“Nós temos no Nosso Lar 23 salas, em cada uma ficam cerca de 3 ou 4 famílias, dependendo da quantidade de integrantes. A estrutura daqui é muito boa e estamos dando todo o suporte necessário para eles”

Maria Perpetuo Socorro, morava no bairro do Bom Parto há mais de dez anos com o esposo e dois filhos, e devido às fortes chuvas acabou perdendo todos os seus pertences. Emocionada, dona Socorro declarou que passou por uma situação desesperadora e nunca imaginou estar nessa situação.

“A água chegava a cobrir o corpo inteiro, minhas roupas e os meus pertences chegavam a ficar boiando. Precisei colocar minha filha no braço para tentar sobreviver, pois ela já estava sendo coberta. A nossa sorte foi que os bombeiros nos resgataram e nos trouxeram para o abrigo. Aqui estamos tendo comida e todo atendimento necessário, não tenho o que reclamar”, apontou Maria.

Josefa Maria da Silva, mora no bairro da Levada há mais de 45 anos e, chorando, alegou nunca ter passado por uma situação igual a essa e não sabe o que seria dela se não fosse o acolhimento da prefeitura.”Moro há anos no mesmo lugar, já enfrentei outras tempestades, mas nenhuma se compara a essa. Lutei muito para conquistar tudo que eu tinha e, hoje, não tenho mais nada. Não está sendo fácil. Vou aguardar o auxílio da prefeitura para tentar me reerguer e construir tudo de novo.”, disse Josefa.


A Prefeitura está disponibilizando 11 mil colchões, 11 mil lençóis, e está distribuindo 47 mil refeições por dia, 5 mil cestas básicas, água mineral e mais de 11 mil kits de higiene para atender o mais rápido possível as demandas dos desalojados e desabrigados.


Os técnicos da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) iniciaram as entrevistas nos abrigos para cadastramento no aluguel social, no valor de R$ 250. Além disso, o órgão irá liberar um auxílio emergencial que será criado por meio de decreto do prefeito JHC, no valor de R$ 500 por família, podendo chegar a R$ 3 mil. A prioridade serão as pessoas que estão em abrigos.
Em decorrência do trabalho preventivo feito pela Prefeitura desde o ano passado, Maceió, até o momento, não registra vítimas fatais mesmo com as fortes chuvas e enchentes – como ocorreu em 25 de maio.


Confira os locais que estão sendo utilizados como abrigos pela Prefeitura
Escola Nosso lar
Rui Palmeira
Antídio vieira
Cmei Francisco Melo
Tarcizio de Jesus
Sítio Recreio
Creche Agenor /Padre Cabral/quadra do Recreio Fernão Velho
Creche Virginia Moraes e uma Escola ao Lado Rio Novo
CAT DEFESA CIVIL no Pinheiro
Aurelina Palmeira
Instituto junte-se a nós
Almeida Leite