Colabore com o Eufemea

“Ele ameaçava e dava prazo”, diz amiga de vítima de feminicídio em Arapiraca

Foto: Reprodução

A mulher que foi baleada na cabeça pelo ex-marido policial militar, que matou um amigo de farda e depois se matou em Arapiraca, morreu no último sábado (20). Erika Fernanda de Oliveira Pitanga, de 25 anos, estava internada há 15 dias no Hospital de Emergência do Agreste.

Leia mais: PM atira na cabeça de ex-mulher e mata outro militar em Arapiraca

Ao Eufêmea, uma amiga de Erika, que não quis ser identificada, compartilhou que tinha conhecimento das dificuldades enfrentadas por Erika e Moisés, mas não estava ciente do nível das ameaças que a vítima sofria.

“Ela era uma pessoa que não compartilhava tanto esse lado. Tive conhecimento sobre isso apenas agora, com uma amiga que me mostrou alguns prints, nos quais ele ameaçava e dava prazo para Erika. Ela estava sob um prazo, e ele cumpriu com o prazo que tinha dado”, lamentou.

Ela conta que soube do assassinato de Erika no mesmo dia, mas apenas durante a noite. Ela recorda que estava em uma viagem quando os colegas de trabalho a informaram sobre a ausência de Erika. Ao investigar a situação, Lays descobriu que Erika foi socorrida com vida para o Hospital de Emergência do Agreste.

“Era uma mulher muito boa, cheia de vida, uma ótima funcionária, filha e uma ótima pessoa. Para mim foi um choque, porém, estava acreditando na melhora dela e estava bem confiante”, disse.

A amiga descreveu a vítima como uma pessoa admirável não apenas por suas qualidades profissionais, mas também por sua autenticidade e determinação.

“Ela era uma menina muito educada, muito esforçada, trabalhadora demais. Não se importava tanto com o que as pessoas achavam, ela se vestia como ela queria, pintava o cabelo como queria, fazia o que queria. É difícil achar uma pessoa com a personalidade e com o coração dela”, conclui.

Relembre o caso

Uma mulher morreu após seu ex-marido, um cabo da Polícia Militar de Alagoas (PM/AL), identificado como Moisés, assassinar o soldado PM Eudson Moura e atirar na cabeça dela. Em seguida, ele tirou a própria vida, na tarde desta sexta-feira (5), em uma residência no bairro Verdes Campos, em Arapiraca, no Agreste de Alagoas.

Segundo informações da PM, o cabo Moisés foi até a casa da ex-mulher com a intenção de matá-la, após ela ter obtido na Justiça uma medida protetiva contra ele.

O PM Eudson estava com o carro estacionado próximo à casa da ex-esposa do cabo Moisés. De acordo com informações, a intenção dele era impedir que Moisés cometesse o crime.

Nas imagens de uma câmera de segurança, o cabo chega ao local e Eudson vai ao encontro dele. Os dois parecem discutir, quando o cabo Moisés saca a arma e atira contra ele. Eudson cai no chão e é alvejado com mais disparos.

Rebecca Moura

Rebecca Moura

Estudante de jornalismo pela Universidade Federal de Alagoas. Colaboradora do portal Eufêmea.