Categorias
Notícias

“Momento importante para revisitar planos e pôr em prática”, diz Secretária durante Conferência Municipal de Educação

Foto: Pedro Farias/Ascom Semed

Teve início nessa segunda-feira (30), a VII Conferência Municipal de Educação de Maceió (COMEM), realizada pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), no auditório do Hotel Ritz Lagoa da Anta, no bairro Cruz das Almas. Com o tema “Inclusão, Equidade e Qualidade: compromisso com o futuro da educação brasileira”, o encontro tem o objetivo de discutir, debater e planejar as diretrizes e os rumos da educação na cidade, no estado e no país. As palestras e plenárias seguem nesta terça (31).

A cerimônia de abertura da conferência teve início com as discussões sobre as metas e planos educacionais municipal, estadual e nacional.

Para a frente de honra foram convocados o secretário de Educação, Rogério Lima, a professora e secretária adjunta, Emília Caldas; o presidente do Conselho Municipal de Educação, Juliano Brito, o secretário executivo da União dos Dirigentes Municipais da Educação (Undime), Neilton Nunes; a presidente do Fórum Municipal de Educação, Josefa da Conceição; a representante dos diretores escolares, professora Josilda Lima e a vereadora, Teca Nelma.

O público que estava no auditório era composto por professores, diretores de escolas municipais, pais de alunos, representantes de instituições privadas e públicas, sindicatos, conselhos de educação, integrantes de fóruns e pessoas interessadas no tema da conferência.

Secretária adjunta da Semed, Emília Caldas, enfatizou a importância do plano municipal de ensino e do evento. Foto: Pedro Farias/Ascom Semed
Secretária adjunta da Semed, Emília Caldas, enfatizou a importância do plano municipal de ensino e do evento. Foto: Pedro Farias/Ascom Semed

Durante sua fala, a secretária adjunta, Emília Caldas comentou sobre a produção do evento e frisou o valor que o Plano Municipal de Educação tem para a formação qualificada de todos.

“Em hipótese nenhuma Maceió poderia ficar de fora dessa discussão. Acho sim que Maceió deveria participar da construção desse documento que são os planos municipal e nacional de educação. Essa conferência é um momento importantíssimo para que toda sociedade civil maceioense e de todo o país revisite seus planos, retire os planos de suas gavetas e ponham em prática”.

Encerrando o momento de falas, a professora e representante dos diretores escolares, Josilda Lima, expressou sua felicidade em compor a mesa de discussão. “É um dia muito importante para o nosso Município discutir a nossa educação, porque sem essa educação não temos luz nas vidas de nossos estudantes”, disse.

Discussões e debates sobre educação de qualidade

Público presente na VII Conferência Municipal de Educação. Foto: Karla Lima/Ascom Semed
Público presente na VII Conferência Municipal de Educação. Foto: Karla Lima/Ascom Semed

Para as palestras de abertura da conferência foram convidadas a presidente da Undime São Paulo, Márcia Aparecida Bernardes e a técnica pedagógica da Semed, Ana Márcia Cardoso. Os assuntos das palestras foram discutidos com a participação do público e apresentações de eixos advindos do tema geral.

Presidente da Undime São Paulo, Márcia Bernardes, foi uma das palestrantes da conferência. Foto: Karla Lima/Ascom Semed
Presidente da Undime São Paulo, Márcia Bernardes, foi uma das palestrantes da conferência. Foto: Karla Lima/Ascom Semed

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS), a importância do ambiente de qualidade para a formação das crianças da educação infantil, o investimento da Educação na primeira infância, as responsabilidades de cada um no Município, desde a secretaria ao pai de alunos, e o monitoramento de metas através de políticas públicas foram alguns dos temas abordados no encontro.

“É uma alegria estar aqui em Maceió. Vim compartilhar da nossa experiência de São Paulo e falar um pouco sobre a importância da conferência, a importância desse momento. Inclusive quero enaltecer o município de Maceió por toda essa organização. É um momento em que estamos preparando o Plano Municipal de Educação e novas metas de educação para os próximos anos”, disse Márcia Bernardes.

*com Ascom Semed

Categorias
Notícias

“A dias de casar, meu noivo criticou meu trabalho e terminou por mensagem”, relata fisioterapeuta

Foto: Arquivo Pessoal

“Íamos nos casar dia 30 de abril de 2022. Dez dias antes da data, enquanto eu mandava fotos de como estava ansiosa para vê-lo no altar, toda empolgada, ele terminou comigo por mensagem de WhatsApp, me disse que tinha outra e ainda falou que eu era a culpada”.

Jessica Pereira Santos, de 26 anos, é de Salvador e estudante de fisioterapia. Em depoimento, ela relata o que passou com final inesperado do relacionamento.

“Já namorávamos há três anos quando fui pedida em casamento, em 2020. Organizamos a festa, que não seria muito grande. (…)Posso dizer que, por pelo menos metade desse tempo de namoro que tínhamos, a nossa convivência era boa. Ele apoiava meus estudos, saíamos juntos”, conta.

No entanto, as coisas mudaram um pouco quando passou em fisioterapia. “O discurso mudou. Ele disse que não aceitaria mais porque eu poderia estar em, por exemplo, um almoço de família e largar tudo para ajudar um paciente – algo que está na troca de mensagens do término”, conta.

Ele queria que eu não estudasse para ir às festas e fazia questão que eu o acompanhasse. Sempre parti do princípio que se estou junto com alguém é porque confio, Não via problemas de ele ir sozinho.

Ela acreditava que, por ele ser engenheiro, e ter uma profissão que exige viajar muito, seria compreensivo. “Afinal, eu ficava sozinha vários dias para seus compromissos de trabalho. Não sei se essa ideia dele sobre minha profissão veio pelo fato de que eu teria uma rotina complicada ou porque ele já tinha outra”.

Jessica é estudante de fisioterapia e quer cursar também medicina  - Acervo pessoal  - Acervo pessoal
Imagem: Acervo pessoal

Segundo Jessica, depois do pedido de casamento a relação mudou para melhor por pelo menos uns seis meses. “Ele me disse que ia mudar em certas atitudes, que não ia me pressionar. Como eu tinha sentimentos por ele, acreditei. Por esse pequeno período passamos a brigar menos, mas logo voltou ao normal”.

Ele queria que eu saísse, eu precisava estudar, ele brigava comigo e falava coisas horríveis. Ele já é formado, eu precisava seguir minha vida. Não queria depender de ninguém.

A estudante afirma que apesar disso, a organização do casamento continuou. “Teríamos uma festa para família e amigos mais íntimos. Organizamos um chá para casa nova, ganhamos presentes e tudo que chegava ia para a casa dele, que era onde íamos morar. Estava tudo contratado para a festa”, relata.

Mas, dez dias antes de subir ao altar, veio o pedido de término. “Fiquei muito triste. É difícil não ficar abalada, porque isso mexe muito com nossos sentimentos, mesmo que a relação não fosse das melhores”.

Ninguém espera acabar um noivado dez dias antes do casamento. Fui pega de surpresa. Eu até esperava uma briga, mas ele terminar e dizer que já estava conhecendo outra pessoa, não.

Como uma forma de tentar lidar com a situação, ele resolvou gravar vídeos no TikTok sobre a experiência. “Foi muito dolorido pra mim, e não imaginei que as pessoas iriam querer saber a história toda. Gravei os vídeos que postei no TikTok para ajudar outras pessoas e não para me aparecer”, explica.

Ela conta que estava muito abalada psicologicamente e ainda precisava lidar com os cancelamentos dos fornecedores. “Meu ex resolveu com alguns mas com outros nem quis se meter. Consegui reaver uma quantidade do dinheiro investido, mas ainda falta muito. A família dele entrou em contato comigo e disse que vão devolver mais algum valor, mas que esse processo é demorado”.

Foco nos estudos

No dia seguinte ao término, ela foi ao aniversário de um amigo em comum ao ex, pois não queria ficar em casa. “Quando meu ex me viu conversando com um colega na festa, disse que eu estava o traindo. Sendo que pela troca de mensagem foi ele quem confessou que estava conhecendo outra pessoa e que não queria mais casar”.

“Ele teve bastante tempo para terminar, mas resolveu fazer nas vésperas do nosso casamento. Fiquei muito abalada. Até hoje ele fala que fui eu quem traiu, quem mentiu e quem enganou. Mas não ligo mais. Acredito que nós, mulheres, não devemos nos submeter a esse tipo de homens”, diz Jessica.

“No momento, não pretendo ter um relacionamento. Quem sabe mais pra frente, né? Eu quero focar no que realmente importa pra mim: meus estudos —o que, supostamente, foi uma das causas do fim do meu noivado”, finaliza.

*com Universa/UOL

Categorias
Notícias

Coordenadora de Feira de Adoção para animais fala sobre importância do acolhimento: “minimizar o cenário de abandono”

Foto: GGI-CA

Em mais um domingo de Feira de Adoção, cães e gatos foram levados até a Rua Aberta, na Orla da Ponta Verde para adquirem um novo lar. A Feira de Adoção é realizada todos os domingos pelo Gabinete de Gestão Integrada de Políticas Públicas para Causa Animal (GGI-CA), em parceria com a Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ). E nesse domingo (29), duas cadelas encontraram um novo lar.

A coordenadora do GGI da Causa Animal, Marcella Soares falou da importância de proporcionar acolhimento para os pets.

“O número de abandono em nossa capital infelizmente ainda é muito elevado, e nesse quadro chuvoso, os animais que vivem em situação de abandono sofrem ainda mais”, explica.

“Por isso nossa equipe está empenhada em continuar realizando as feiras para assegurar lares para os cães e gatos. Seguimos trabalhando para minimizar cada vez mais esse cenário de abandono e transformá-lo em histórias com finais felizes”, relata a coordenadora.

Marluce Soares, proprietária de salão de beleza, fez a adoção de uma cadela e falou que sempre participa da Feira. “Aos domingos sempre vou à Rua Aberta e já tinha visto a estrutura da feira, também já vi matérias pela TV. Minha filha mais nova se encantou por uma cadelinha e resolvemos realizar a adoção, batizamos de Chloé, ela é muito animada e brincalhona, trouxe luz e ainda mais amor para o nosso lar”, contou a empreendedora.

A coordenação explica sempre no ato das ações as responsabilidades e cuidados que são necessárias ter com os animais. Todos os pets que são levados para as feiras são saudáveis. Além das feiras do Município, que acontecem todos os domingos, os animais que estão abrigados na UVZ podem ser adotados ao longo da semana, de segunda-feira a sexta-feira, diretamente na unidade.

O servidor José Lopes fez uma adoção responsável nesta edição. Foto: Ascom GGI Causa Animal
O servidor José Lopes fez uma adoção responsável nesta edição. Foto: Ascom GGI Causa Animal

O Gabinete da Causa Animal reforça que para adotar um pet é necessário ser maior de 18 anos, apresentar documento de identificação com foto e comprovante de residência, além de assinar um termo se responsabilizando pelo cuidado com o animal adotado.

Cuidados

Os animais adultos que são adotados passam por procedimentos de castração, vacinação, vermifugação, além da testagem para leishmaniose.

Os filhotes passam por prévia avaliação médico-veterinária e as pessoas que adotam recebem orientações sobre quando poderão levá-los à Unidade de Vigilância em Zoonoses para receber a vacinação antirrábica e realizar a castração. O animal adotado recebe um chip de identificação que permite identificar o responsável em caso de abandono.

Mais informações sobre as feiras de adoção de pets e outras questões relativas à proteção e garantia de direitos dos animais podem ser obtidas no número (82) 3315-5456.

*com Ascom GGI Causa Animal

Categorias
Notícias

Após fortes chuvas, marisqueira e família que viviam em área de risco são acolhidas em abrigo no Jaraguá

Adriana Maria sendo atendida pela assistente social da unidade de acolhimento. Foto: Célio Júnior/Secom Maceió

Diante das fortes chuvas que atingiram a capital, para assegurar pessoas que residiam em áreas de risco, a Prefeitura de Maceió e a Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) estruturaram um abrigo no bairro de Jaraguá, localizado na Travessa 13 de Maio.

A família da marisqueira Adriana Maria, de 32 anos, que reside na orla lagunar, foi uma das auxiliadas. Ela recebeu abrigo junto ao seu marido e seu filho de um ano. No local, uma assistente social realizou o atendimento, deu orientações sobre cuidados com a saúde, além de uma equipe ter lhe repassado informações sobre os benefícios assistenciais.

A unidade de acolhimento tem sido um importante braço de apoio nessa rede montada pela Prefeitura com objetivo de proteger à população. A unidade conta com 120 vagas, oferece três refeições diárias e tem atendimento socioassistencial. Atualmente, o local está com abrigando 34 pessoas.

As famílias abrigadas no local estão sendo atendidas pela equipe de Benefícios Eventuais do Centro de Atendimento Socioassistencial (CASA), para dar entrada no auxílio moradia, e em outros benefícios assistenciais, caso seja necessário.

Recurso para moradia

De acordo com a Secretaria Municipal de Assistência Social, 22 famílias já deram entrada para receber o auxílio moradia, que repassa uma contribuição mensal de R$ 250,00 que deve ser destinado ao pagamento de aluguéis em residências localizadas em áreas seguras. O benefício é concedido por um período de seis meses, podendo ser renovado por igual prazo.

Para ter acesso ao abrigo, as famílias afetadas acionam a Defesa Civil de Maceió, no contato 199, para receberem os atendimentos necessários. Após o contato da família, a Defesa Civil fará o registro da ocorrência e a equipe da Diretoria Operacional irá até a residência dessas pessoas para verificar a situação e encaminhá-las ao abrigo.

Prefeito JHC conferiu toda a estrutura do abrigo em Jaraguá que está recebendo com dignidade as vítimas das chuvas. Foto: Edvan Ferreira / Secom Maceió
Prefeito JHC conferiu toda a estrutura do abrigo em Jaraguá que está recebendo com dignidade as vítimas das chuvas. Foto: Edvan Ferreira / Secom Maceió

Situação de rua 

Para atender à população em situação de rua, a Semas disponibiliza a Casa de Passagem Familiar, a Casa de Passagem Manoel Coelho Neto, além da Casa de Ranquines, conveniada com a Prefeitura de Maceió.

Campanha 

A Semas também iniciou uma campanha para arrecadar casacos, edredons, lençóis e roupas para as vítimas das fortes chuvas, que atingiram a capital alagoana nos últimos dias.  Alimentos não perecíveis e produtos de higiene e limpeza também podem ser doados.

Pontos de arrecadação

SEMAS – Secretaria Municipal de Assistência Social, na Avenida Comendador Leão, n° 1383, Poço, das 8h às 14h;

Centro POP 1 – das 8h às 13h, na Avenida da Paz, 994 – Jaraguá;

Sede do Cadastro Único (CadÚnico), na Av. Menino Marcelo, SN – Serraria (ao lado da farmácia Drogasil), das 8h às 14h;

Defesa Civil de Maceió, na Rua Cônego João Barros Pinho, 107 – Pinheiro, durante 24h;

Maceió Shopping, na Av. Comendador Gustavo Paiva, 2990 – Mangabeiras, das 10h às 22h.

*com Ascom Semas

Categorias
Cotidiano Interna Notícias

Técnico de Futebol deverá indenizar Jornalista alagoana após agressão verbal

Foto: @rm_fotografia70

O técnico de futebol José Aldo Pereira deverá indenizar a jornalista Priscila Anacleto após agredi-la verbalmente durante o exercício da profissão, em Arapiraca. O caso foi registrado em setembro do ano passado. As agressões ocorreram durante a  transmissão de um campeonato de base.

Na época, Priscila contou ao Eufemea que o técnico a chamou de burra e proferiu palavras de baixo calão.

Com o que aconteceu, a jornalista recebeu muitas mensagens de apoio, carinho e de incentivo para que ela denunciasse. Assim foi feito. Ela registrou um boletim de ocorrência e levou o caso à Justiça.

O acordo, firmado após audiência de conciliação realizada no Centro Judicial de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc), estabeleceu o pagamento de indenização, além da publicação de uma nota de retratação.

Confira a nota na integra do técnico:

“Eu, José Aldo Pereira Dos Santos (Felipe Pereira), venho pelo presente Termo de Retratação Pública, retratar-me publicamente das ofensas proferidas contra a jornalista Priscila Anacleto, da TV Liberdade AL, durante o exercício da profissão.

O episódio, que aconteceu durante o ‘Arapiraca CUP’, no dia 5 de setembro de 2021, no Estádio Coaracy da Mata Fonseca, em Arapiraca, causou uma situação constrangedora para a profissional e sua equipe.

Desta feita, sabendo da honra, competência e profissionalismo da jornalista Priscila Anacleto, peço-lhe desculpas pelos transtornos causados, assim bem como aos colegas de trabalho e profissão.

Por fim, reitero minha retratação pessoal com a consciência de que ato como esse não mais se repetirá.

Atenciosamente,
José Aldo Pereira Dos Santos ( Felipe Pereira)
Técnico de Futebol da Escolinha Villareal”

Categorias
Notícias

Coordenadora fala sobre ação do Maio Laranja em feira no Benedito Bentes: “defesa e garantia dos direitos”

Coordenadora do Cras Cidade Sorriso, Mariele Santos, participou da ação na feira livre do Benedito Bentes. Foto: Cras Cidade Sorriso

Concluindo as ações do mês que marca a Campanha Maio Laranja, que reitera a importância do combate ao abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes, o Centro de Referência de Assistência Social, (Cras) Cidade Sorriso, promoveu uma ação preventiva na feira livre do bairro Benedito Bentes, em Maceió, na última sexta-feira (27).

A atividade contou com panfletagem e socialização de informações com os feirantes e a população presente no local. A coordenadora do Cras Cidade Sorriso, Mariele Santos, afirmou que a campanha foi um sucesso.

“Não poderíamos deixar de finalizar nossa Campanha unindo forças com os demais órgãos de defesa de direitos das crianças e adolescentes e toda a comunidade do bairro Benedito Bentes. Foram distribuídos panfletos com divulgação dos principais canais de denúncia e informações sobre o Cras, Creas e conselhos de direitos”, afirma.

“Ao meu ver, a ação foi um verdadeiro sucesso, em especial, devido a articulação e fortalecimento da Rede Socioassistencial e Intersetorial em defesa e garantia dos direitos dos nossos pequenos” conclui a coordenadora.

A ação contou com a presença da equipe do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) Benedito Bentes, em conjunto com o Serviço de Abordagem Social, Conselho Tutelar, Conselho Estadual da Criança e Adolescente, e o Núcleo de Saúde da Família (NASF).

Rede intersetorial participou da atividade. Foto: Cras Cidade Sorriso
Rede intersetorial participou da atividade. Foto: Cras Cidade Sorriso

Denuncie o abuso e a exploração infanto-juvenil

Exploração sexual infantojuvenil é crime, com pena de até 14 anos de prisão para o aliciador. Segundo dados do Ministério da Saúde, a cada hora, três crianças são abusadas sexualmente no Brasil.

A Secretaria Municipal de Assistência Social de Maceió (Semas) informa que há contatos telefônicos e serviços disponíveis para encaminhamento de denúncias de casos:

DISQUE 100

O Disque 100 é um serviço de atendimento telefônico gratuito, que funciona 24 horas por dia, nos sete dias da semana. As denúncias recebidas na Ouvidoria da Secretaria Nacional de Direitos Humanos e no Disque 100 são analisadas, tratadas e encaminhadas aos órgãos responsáveis.

Delegacia Especializada de Crime Contra e Adolescente

A delegacia funciona das 8h às 18h, na Rua Abdon Assis Inojosa Andrade, Jatiúca. O  telefone de contato é o  (82) 3315-9941 ou ainda pelo e-mail decccac@pc.al.gov.br.

Conselhos Tutelares

Telefone

Endereços

*com Ascom Semas

Categorias
Notícias

Médica veterinária orienta sobre atendimento para prevenção de doenças renais em cães e gatos

Foto: GGI Causa Animal

O mês de maio representa no calendário pet um período de conscientização às doenças renais em cães e gatos. Além de ser uma oportunidade para marcar a importância de cultivar o cuidado durante toda a vida dos animais domiciliados. Na reta final da campanha, os profissionais do Gabinete de Gestão Integrada de Políticas Públicas para Causa Animal (GGI-CA) reforçam o alerta de que as doenças renais podem afetar os animais e não têm cura, mas com o diagnóstico correto podem ser tratadas.

Assim como nos humanos, os cães e gatos também podem sofrer com complicações nos rins e o mês de maio foi dedicado especialmente para conscientização para o diagnóstico precoce de doenças renais nos pets. A Doença Renal Crônica (DRC) acontece tanto em cães como em gatos e costuma aparecer a partir dos 6 anos de idade e os principais sintomas são: sede, mau hálito, diminuição de apetite, apatia, fraqueza, perda de peso e vômitos.

Em casos de doenças mais avançadas, os pets podem perder até 75% da função dos rins. O comprometimento da função dos rins gera impacto no sistema metabólico e no estado de saúde geral dos animais. Por isso, é ideal manter a rotina do seu pet no médico veterinário e também uma boa alimentação e hidratação.

A médica veterinária, Larissa Rocha, que compõe a equipe do Gabinete da Causa Animal, falou sobre quando deve ser avaliado os rins dos animais.

“A avaliação renal deve está presente nos check-ups anuais, quando houver suspeita de alguma doença no sistema urinário, nos animais idosos, antes de anestesias [mesmo para procedimentos eletivos], em qualquer doença grave, nos animais com doenças cardíacas, nos casos de piometra, nas hemoparasitoses [doenças do carrapato], em animais com leishmaniose [Calazar], doença periodontal severa, em qualquer tipo de intoxicação, antes do uso de antinflamatórios e em gatos com Fiv/FeLV”, explicou a Veterinária.

A veterinária também listou alguns fatores de risco, que são: idade avançada, insuficiência renal aguda, comorbidades (como doença cardíaca, diabetes, hipertensão e obesidade), ausência de dieta balanceada, ingestão de substância tóxicas (como uva, chocolate, alho, cebola, cebolinha, chá e café).

Manter consultas e exames médico veterinários periodicamente é fundamental para a prevenção de doenças nos pets, além de  oferecer alimentação balanceada, investir em bons alimentos úmidos (sachês) e também estimular a ingestão de água.

Raças predispostas

Cães: Shar pei, Bull terrier, Cocker spaniel inglês, Cavalier king charles spaniel, West highlander White terrier, Boxer.

Gatos: Persa, Abissínio, Siamês, Ragdoll, Birmanês, Maine coon.

*com Ascom GGI Causa Animal

Categorias
Home Inspiradoras Notícias

Catadora de sururu conquista vaga em curso de costura industrial: “vou abrir meu ateliê e viver de minha renda”

Foto: Itawi Albuquerque/Secom Maceió

“Todos temos que correr atrás de nossos sonhos e fazer por onde realizá-los”. A frase é de Gisely Silver, aluna do curso de costura industrial ofertado por meio de parceria da Prefeitura de Maceió com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). Ela é uma entre os demais 19 alunos que sonham em fazer do aprendizado seu ganha-pão.

A história de Gisely serve de espelho para muitos que pensam em desistir diante dos obstáculos impostos pela vida. Ela acorda cedo diariamente e cata sururu, no Vergel do Lago, indo em busca de viver seu sonho. Venceu um duplo luto familiar – Gisely perdeu seu companheiro e seu irmão recentemente – e hoje mora com a tia, de onde tira forças para alcançar seu ideal de vida.

“Vou para o curso sempre. Me dedico, me esforço e sei que aos poucos vou conseguir comprar minha máquina de costura industrial; e finalmente, viver de minha arte”, conta Gisely.

A certeza e fé na concretização do que tanto deseja se dá pelo conhecimento que ela vem adquirindo no curso. Gisely confidenciou que tem uma pequena máquina de costura que atualmente faz apenas abanhados, lençóis, os chamados ‘cortes retos’. Os mais simples, baratos e pouco procurados.

“Aprendi a fazer bermuda, shorts, camisetas, diversas peças de roupa. Com fé, vou abrir meu ateliê para ‘arrasar’ e viver de minha renda”, comemora.

Gisely Silver concentrada nas aulas do curso de costureiro industrial que faz parte da parceria entre Prefeitura de Maceió e Senai. Foto: Itawi Albuquerque / Secom Maceió
Gisely Silver concentrada nas aulas do curso de costureiro industrial que faz parte da parceria entre Prefeitura de Maceió e Senai. Foto: Itawi Albuquerque/Secom Maceió

Todos os participantes dos cursos são usuários do Cadastro Único e mulheres do Programa Emprega Mulher e almejam este espaço no mercado de trabalho. As aulas ocorrem na unidade do Senai, localizada no bairro do Poço, nos horários da manhã e da tarde. Os alunos que estão participando da qualificação profissional foram selecionados pela Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas).

Cursos profissionalizantes

As novas turmas dos cursos profissionalizantes ofertados pela Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) foram iniciadas no dia 30 de março. Estão participando usuários do Cadastro Único, do programa Nova Chance e do Emprega Mulher.

Foram ofertadas no total 90 vagas para os cursos de eletricista instalador predial baixa tensão, mecânico de e costureiro industrial do vestuário. Em 2021, a Semas capacitou mais de 200 pessoas em vulnerabilidade social, inscritas no Cadastro Único e no programa Nova Chance, através de cursos profissionalizantes como panificação, pintor, pedreiro, encanador, instalador, gesseiro e auxiliar administrativo.

Para participar desses cursos, os usuários devem ser inscritos no Cadastro Único de Maceió e ter renda per capta familiar de até R$210. Além do material didático, os alunos recebem auxílio-transporte, alimentação e certificado do Senai no final do curso, com oportunidades de estágio e inserção no mercado de trabalho.

*com Ascom Semas

Categorias
Notícias

Professora ministra curso gratuito de Corte e Modelagem em Maceió; saiba como participar

Foto: Secom Maceió

O Sine Maceió está com inscrições abertas para o curso de Corte e Modelagem com Tecnologia sem costura ministrado pela professora Mery Fagundes. Ao todo, são 30 vagas e a qualificação profissional será realizada nos dias 07 e 08 de junho, no auditório da unidade de atendimento ao trabalhador, no 2º piso do Shopping Popular, na capital.

Para a matrícula, é necessário se dirigir ao Sine Maceió com a Carteira de Identidade e CPF e um comprovante de residência. As aulas irão ocorrer em duas turmas, divididas pela manhã, das 9h às 11h, e outra pela tarde, das 14h às 16h. Ao final do curso, serão entregues certificados de qualificação profissional pelo Sine Maceió.

O conteúdo programático é composto por ensinamentos de montagem de camisa com colocação de colarinha e punho; montagem de calças de cós; bolso embutido de calças de cós; bolso embutido de calça social e blazer; acabamento de uniformes escolares, roupas de praia; preparação de tecidos inteligentes, com elastano para corte; godê com corte econômico, bolso lateral; entre outros.

As matrículas ficam abertas até o preenchimento das vagas. O Sine Maceió está localizado na Rua do Livramento, no 2º piso do Shopping Popular. O posto de atendimento funciona das 8h às 14h, de segunda a sexta-feira.

*com Ascom Semtabes

Categorias
Notícias

Mulheres conquistam independência financeira através do projeto Economia Solidária em Maceió

Foto: João Ferro / Ascom Semtabes

“Estou começando a viver agora”. É assim que Cátia Cilene, 53 anos, começa contando sua história de superação. Ela faz parte do grupo Rosa de Saron, um dos 20 grupos cadastrados na Secretaria Municipal de Trabalho, Abastecimento e Economia Solidária (Semtabes) que trabalham o empoderamento feminino – e econômico – das maceioenses. Com sua participação no projeto ela está conquistando sua independência financeira.

Há um setor da pasta que cuida específica destes casos. Economia Solidária é uma diretoria da Semtabes que agrega 20 grupos. E deles surgem exemplos de vida que inspiram e encorajam a quem ainda não conhece o trabalho delas.

Cátia é um exemplo. Ela se divorciou há quase cinco anos, após viver uma vida difícil dentro de casa. Trabalhava cuidando da casa e dos filhos. Após uma longa vida conturbada, teve forças para superar um casamento que trazia dor e sofrimento. Hoje, ela cria estilos únicos de calçados, com miçangas, bordados e crochês.

“Comecei [na Economia Solidária] faz pouco tempo e estou amando trabalhar com toda a equipe. Estou aqui para ajudar o grupo e o grupo me ajudar. Recebi o convite para participar do projeto e estou seguindo em frente”, afirma emocionada.

Cátia Cilene sente-se envolvida com o apoio recebido na economia solidária. Foto: João Ferro / Ascom Semtabes
Cátia Cilene sente-se envolvida com o apoio recebido na economia solidária. Foto: João Ferro / Ascom Semtabes

O convite para participar da Economia Solidária partiu de sua amiga de mais de 20 anos, a coordenadora do grupo Rosa de Saron, Francisca Cardeal, que também traz consigo marcas de uma vida difícil.

“Eu fazia crochê e ela fazia brincos de pedrarias. Ela não podia sair de casa, então eu saía na beira da praia gritando: ‘olha o chapéu, olha o brinco’. Sofria eu e sofria ela. Foi um jeito de ganhar um dinheiro extra”, conta Francisca.

A Francisca conheceu a Economia Solidária há oito anos. Gostou do projeto na Semtabes e decidiu criar o grupo Rosa de Saron, que possui 11 membros, sendo seis atuantes. Eles produzem colares, brincos, sandálias decoradas, luminárias, arte em macramê, toalhas de fuxico, pesos de porta, conjuntos de cozinha, bolsas de palha e diversos acessórios.

“O que vemos ser possível produzir com o nosso artesanato, a gente procura aprender e aperfeiçoar para ter o que expor. A vida do artesão é assim: tem que inovar”, ressalta a coordenadora do grupo.

A Cátia tem se empenhado na produção para conseguir agradar a clientela e aproveita para dar uma dica à quem gosta de usar aquele chinelinho personalizado: “muita gente gosta de usar nossas sandálias, que são bem trabalhadas e acabadas. E dá para usar num passeio na orla, no dia a dia ou em ocasiões mais especiais”, aponta feliz.

O que antes era feito na surdina de um relacionamento tóxico, agora está nos principais pontos populares de comércio da capital. Para encontrar os produtos da Economia Solidária, basta conferir os pontos fixos disponibilizados pela Prefeitura de Maceió no Shopping Maceió (Mangabeiras) ou no Shopping Pátio (Benedito Bentes).

Para encomendar seus produtos do Grupo Rosa de Saron, os artesãos estão disponíveis: Cátia (fuxico e sandálias decoradas) – (82) 99183-1309; Francisca (mantas, xales e demais artigos em crochê) – (82) 98863-8340; Lucas (macramê) – (82) 99675-5644; Silvânia (macramê) – (82) 99958-4762; Juraci (crochê) – (82) 98853-3801; Aline (fuxico) – (82) 98816-4313; Silvania de Jesus (materiais recicláveis) – (82) 99972-8162; e Adriano (luminárias) – (82) 99682-2610.

Fotos: João Ferro / Ascom Semtabes

*com Ascom Semtabes

Categorias
Eu, Fêmea Home Inspiradoras

As lições que eu aprendi com This is Us: “Ela me fez olhar a vida como ela é”

Terminei a série This is Us ontem. E confesso que foi difícil parar de chorar diante de tudo que vi nos últimos episódios. Não vou soltar spoilers neste texto sobre o que acontece na sexta temporada, mas depois de publicar uma foto no meu Instagram falando sobre o fim da série recebi algumas mensagens de pessoas perguntando do que se tratava This is Us. E eu respondi: da vida.

Sim, porque todos nós nos identificamos em algum ponto com a série. Seja por causa de uma separação, casamento, maternidade, racismo, inseguranças… Acredito que a série tem um ponto de gatilho para cada um.

Posso dizer que aprendi com a série. Aprendi a olhar os dois lados e entender que cada pessoa carrega dentro de si uma dor (que muitas vezes veio da infância) e que está presente na parte adulta.

O que você vive no presente tem a ver com o passado e reflete no futuro.

Aprendi a entender que nem todo relacionamento deve continuar mesmo quando se tem filhos e que o diálogo deve ser sempre a base de tudo.

Também aprendi que apesar de toda dor ou situação difícil, a vida vai continuar. As coisas lá fora vão continuar acontecendo. Um morre, outro nasce. Um perde, outro ganha. A vida acontece de forma diferente para cada um. Não existe vida perfeita.

Mas sem dúvidas, o maior ensinamento que eu tive (e que talvez estivesse muito distante de mim porque não é a minha realidade agora) é que todos nós vamos envelhecer.

E quando nós envelhecemos, alguém precisa cuidar de nós. E esse cuidado muitas vezes pode ser desafiador e cansativo, mas ele precisa ser cheio de amor. É como se fosse uma forma de retribuir tudo que aquela pessoa fez.

Se This is Us é uma das minhas séries favoritas? Com certeza. Não só pela história que ela trouxe, mas por tudo que ela modificou dentro do coração de cada pessoa.

Ela te faz olhar para a vida como ela é.

Categorias
Notícias

“Tratar de perto com as pessoas é uma vantagem na hora de passar a informação”, comenta educadora sobre ações do Maio Amarelo

Ação no Benedito Bentes. Foto: SMTT

A semana do Maio Amarelo da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) de Maceió foi bem movimentada. As atividades ocorreram entre essa segunda-feira (23) e a quarta-feira (25). A programação incluiu uma reunião no Detran/AL, momento com taxistas no Sest-Senat e a ação em uma empresa no bairro Benedito Bentes, na parte alta da capital.

A primeira ação, na segunda-feira, foi realizada no Departamento de Trânsito de Alagoas (Detran-AL). Na ocasião, a equipe de Educação da SMTT participou de uma reunião com os representantes do órgão de trânsito e do Observatório Nacional, para tratar do Projeto Educa, que consiste na multiplicação de saberes nas área de mobilidade e trânsito para professores das redes pública e privada.

“Durante todo ano é importante dividir o que aprendemos e temos de conhecimento sobre o trânsito, mas é em períodos como o Maio Amarelo que temos ainda mais chance de difundir essas informações”, pontuou Inês Pessoa, assessora de Educação da SMTT.

A profissional ainda destacou que “levar o que sabemos para professores é criar mais multiplicadores”, finalizou.

Ação com taxistas no Sest-Senat. Foto: SMTT
Ação com taxistas no Sest-Senat. Foto: SMTT

Na terça-feira (24), os profissionais da SMTT estiveram no Sest-Senat, no bairro Serraria, onde aconteceu mais um dia de atividade com os taxistas.

Já na quarta-feira, a equipe de Educação esteve em um conglomerado de empresas situado no Benedito Bentes. Na ocasião, foi realizada uma apresentação aos funcionários sobre acidentes no trânsito e também aconteceu uma palestra.

“O trabalho direto, o corpo a corpo é muito importante para as nossas atividades. Sejam em escolas ou em empresas, pegar as pessoas e tratar com elas de perto é uma vantagem na hora de passar a informação”, ressaltou a educadora de trânsito, Aldinete Dantas.

Próximas ações

O Maio Amarelo tem em sua programação, no próximo domingo (29), o passeio ciclístico, cujo intuito é levar conscientização sobre a segurança viária.

Acesse informações sobre a ação no link a seguir: https://maceio.al.gov.br/noticias/smtt/smtt-realiza-passeio-ciclistico-para-levar-conscientizacao-sobre-seguranca-viaria-neste-domingo-29.

Já na terça-feira (31), finalizando o período, acontece a doação de sangue na sede do Hemocentro de Alagoas (Hemoal), no Trapiche da Barra.

*com Ascom SMTT